Mundo
Acompanhe:

Terceira liminar não pode cancelar leilão

Brasília - Em entrevista coletiva, o presidente da comissão de licitações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Hélvio Guerra, afirmou que a terceira liminar emitida pela Justiça do Pará não pode cancelar o leilão de Belo Monte, realizado nesta tarde (20) na sede da Agência Nacional de Energia Elétrica, em Brasília. Guerra informou ainda que o governo […]

 (EXAME.com)

(EXAME.com)

C
Cacau Araújo

10 de outubro de 2010, 03h37

Brasília - Em entrevista coletiva, o presidente da comissão de licitações da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Hélvio Guerra, afirmou que a terceira liminar emitida pela Justiça do Pará não pode cancelar o leilão de Belo Monte, realizado nesta tarde (20) na sede da Agência Nacional de Energia Elétrica, em Brasília.

Guerra informou ainda que o governo já trabalha numa ação para cassar a liminar. "Assim que houver decisão da Justiça do Distrito Federal divulgaremos (o vencedor)", disse. O presidente da comissão disse ainda que os participantes do leilão continuam em salas isoladas, mas garantiu que esses representantes estão à vontade.

Na mesma entrevista coletiva, o procurador-geral da Aneel, Márcio Pina Marques, afirmou também que não há chance de o leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte ser cancelado em razão da liminar concedida pelo juiz federal Antonio Carlos Almeida Campelo, da subseção de Altamira, no Pará. Segundo Pina, apesar de a ação ter sido protocolada ontem, a informação sobre a liminar só chegou à Aneel às 13h30 de hoje por meio de e-mail.

O leilão já tem um vencedor, mas por determinação de liminar emitida no Pará, o resultado não pode ser divulgado.

Com informações da Agência Estado.