Setor de serviços cresce na zona do euro; divergências persistem

Índice Markit do setor de serviços, baseado na atividade de milhares de empresas, subiu de 54,2 para 55,9 em janeiro

Londres – O setor de serviços da zona do euro cresceu bem mais que o estimado inicialmente, com a disparada de novos negócios, mas os números mascaram a continuidade das divergências entre os Estados-membros, mostrou uma pesquisa nesta quinta-feira.

O índice Markit do setor de serviços, baseado na atividade de milhares de empresas, subiu de 54,2 para 55,9 em janeiro, mais que a estimativa preliminar de 55,2.

O setor, responsável por dois terços da economia da união monetária europeia, viu os novos negócios crescerem a uma taxa não vista desde agosto de 2007, com o índice subindo de 53,9 para 55,9.

Qualquer leitura acima de 50 indica expansão.

Porém, a alta dos números foi induzida pela força da Alemanha, que ofuscou os resultados fracos de outros países do bloco de 17 nações.

O índice composto dos setores de serviços e manufatureiro também avançou em dezembro, de 55,5 para 57,0, o maior nível desde abril. A leitura preliminar era de 56,3.

“Os dados sinalizam o melhor início de ano dos últimos três anos, consistentes com o crescimento do PIB acelerando para um ritmo trimestral de 0,7 a 0,8 por cento”, disse Chris Williamson, do Markit.

O componente de emprego caiu pelo terceiro mês seguido, de 52,5 para 52,1, mas ficou acima de 50 pelo nono mês seguido.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.