Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

O governo do Reino Unido anunciou, nesta sexta-feira, 31, noite de quinta em Brasília, que finalizou as negociações para fazer parte do Tratado Integral e Progressista de Associação Transpacífico (CPTPP), seu maior acordo comercial desde o Brexit.

Assim, após 21 meses de negociações, o Reino Unido se torna o 12º membro e o primeiro país europeu a fazer parte do CPTPP, que somará um Produto Interno Bruto (PIB) de 13,6 trilhões de dólares, anunciou o governo britânico em comunicado.

Com a inclusão do Reino Unido, o bloco contará agora com 500 milhões de habitantes e 15% do PIB mundial.

Exclusão da União Europeia como um 'alívio'

O governo britânico destacou que sua adesão não teria sido possível se o país ainda fosse membro da União Europeia (UE) e elogiou a forma na qual o Reino Unido está "aproveitando as oportunidades" de suas "novas liberdades comerciais pós-Brexit".

Até agora, o CPTPP era formado por 11 países da região Ásia-Pacífico: Austrália, Brunei, Canadá, Chile, Japão, Malásia, México, Nova Zelândia, Peru, Singapura e Vietnã.

Mais de 99% das exportações britânicas de bens aos países do CPTPP estarão livres de tarifas, detalhou o governo do primeiro-ministro Rishi Sunak, citando produtos-chave como queijos, automóveis, chocolates, máquinas e equipamentos, gim e uísque.

O setor de serviços também se beneficiará de uma burocracia reduzida.

"Este acordo demonstra os benefícios econômicos reais de nossas liberdades pós-Brexit", disse o premiê Sunak.

A adesão ao CPTPP "coloca o Reino Unido no centro de um grupo de economias do Pacífico dinâmicas e em crescimento", acrescentou o chefe de governo em comunicado. "As empresas britânicas terão agora um acesso sem concorrência a mercados da Europa até o Pacífico Sul".

Sem Estados Unidos

A ministra britânica de Comércio, Kemi Badenoch, destacou os benefícios em matéria de emprego para as empresas de seu país e um acesso mais amplo à região Ásia-Pacífico, de onde se espera que proceda "a maior parte do crescimento mundial".

O Reino Unido e os países do CPTPP ainda devem finalizar os trâmites legais e administrativos antes da assinatura formal este ano.

Desde a sua saída efetiva da UE e do mercado comum europeu em 1º de janeiro de 2021, o Reino Unido vem buscando acordos comerciais em todos os âmbitos para impulsionar seu comércio internacional.

Londres negociou acordos comerciais com a UE e outros países europeus, assim como com nações mais distantes, como Austrália, Nova Zelândia e Singapura. Também há negociações em curso com Índia e Canadá.

Por outro lado, o tão esperado acordo com os Estados Unidos foi adiado e as negociações com Washington estão paralisadas.

O CPTPP é o acordo de livre comércio mais importante da região do Pacífico.

Em 23 de janeiro de 2017, o então presidente americano Donald Trump anunciou a retirada de seu país do acordo, do qual fazia parte inicialmente, inclusive antes de sua entrada em vigor, que acontece de forma escalonada desde dezembro de 2018.

O Reino Unido havia solicitado sua adesão ao CPTPP em fevereiro de 2021 e as negociações começaram em setembro daquele ano.

Créditos

Últimas Notícias

ver mais
Criador do ChatGPT diz que quer continuar operando na Europa após ameaça de deixar bloco
Mundo

Criador do ChatGPT diz que quer continuar operando na Europa após ameaça de deixar bloco

Há 4 horas
Japão adota novas sanções contra a Rússia e critica acordo de armas nucleares com Belarus
Mundo

Japão adota novas sanções contra a Rússia e critica acordo de armas nucleares com Belarus

Há 5 horas
Terremoto de magnitude 6,2 atinge o Japão
Mundo

Terremoto de magnitude 6,2 atinge o Japão

Há 5 horas
China critica duplo discurso do G7 sobre desvinculação econômica
Mundo

China critica duplo discurso do G7 sobre desvinculação econômica

Há 7 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais