A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Putin quer que Snowden vá embora, mas não descarta asilo

Presidente russo afirmou que gostaria que o ex-agente fosse embora após três semanas instalado em um aeroporto de Moscou

Ilha de Gogland - O presidente russo, Vladimir Putin, disse nesta segunda-feira que gostaria que Edward Snowden fosse embora após três semanas instalado em um aeroporto de Moscou, mas também sinalizou que o ex-técnico de inteligência dos Estados Unidos estaria se encaminhando para atender às condições da Rússia para a concessão de asilo.

Snowden viajou de Hong Kong para o aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, no dia 23 de junho, na esperança de embarcar de lá para algum país que o protegesse de perseguições judiciais nos Estados Unidos, onde foi acusado de ameaçar a segurança nacional ao divulgar programas governamentais secretos de espionagem.

Sem passaporte válido e sem visto para entrar na Rússia, Snowden não pôde passar pelo guichê da imigração e permaneceu em um limbo jurídico.

Os EUA pressionam outros países para que não concedam asilo ao foragido, e Putin, tentando não complicar ainda mais suas relações com Washington, disse que a Rússia só concederia asilo a Snowden se ele parar de fazer revelações prejudiciais aos EUA.

Três governos de esquerda latino-americanos --da Bolívia, Nicarágua e Venezuela-- já ofereceram asilo a Snowden, mas não há voos diretos de Moscou para essas nações, o que gera o risco de que o norte-americano seja barrado ao fazer conexão em outro país.

Na semana passada, Snowden, de 30 anos, disse que estaria disposto a cumprir as condições de Putin para receber um asilo temporário na Rússia, enquanto espera condições para se instalar definitivamente em outro país.

Em visita à ilha de Gogland, no golfo da Finlândia, Putin disse: "Assim que houver a oportunidade de que ele se desloque para outro lugar, espero que o faça".

"As condições para lhe conceder asilo político são conhecidas por ele. E a julgar por suas ações mais recentes ele está mudando sua posição. Mas a situação ainda não foi esclarecida." "Nós temos certas relações com os Estados Unidos e não queremos que você danifique nossos laços com sua atividade", acrescentou Putin, referindo-se a Snowden.

Putin e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, terão uma reunião de cúpula no começo de setembro, logo antes de uma cúpula de líderes do G20 na Rússia.

Questionado sobre qual seria o futuro de Snowden, Putin, ex-espião da KGB, disse: "Como vou saber? É a vida dele, o destino dele".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também