A página inicial está de cara nova Experimentar close button
Conheça o beta do novo site da Exame clicando neste botão.

Promotoria se opõe a condenação leve para Pistorius

Promotoria se opôs a uma condenação leve para o atleta, acusado de homicídio culposo contra sua namorada

Pretória - A promotoria se opôs nesta terça-feira a uma condenação leve para Oscar Pistorius, no tribunal que deve fixar a pena do atleta sul-africano, acusado de homicídio culposo contra sua namorada.

Na segunda-feira, um especialista penitenciário sugeriu condenar o atleta a três anos de trabalhos de interesse geral e de prisão domiciliar, o que provocou a indignação da promotoria e dos familiares das vítimas.

O promotor Gerrie Nel minimizou inclusive o compromisso de Pistorius com as crianças com deficiência física, em sua tentativa de convencer o tribunal de que o réu merece ir para a prisão.

Para um atleta, "não é nada original (este tipo de compromissos)", defendeu, durante o contra-interrogatório do agente do atleta, Pete Van Zyl.

"É simplesmente uma etapa em sua carreira (...)", acrescentou, sugerindo que seus trabalhos solidários só respondiam a uma vontade de alcançar a fama e agradar seus patrocinadores.

"Acredito que muitos atletas querem dar sua contribuição e mudar as coisas", respondeu Van Zyl.

Perguntado sobre a vontade do atleta paralímpico de retornar a competir, seu agente disse desconhecer a resposta, mas não a descartou.

"Não falei sobre isso com ele", ressaltou, informando que dependeria do processo.

Van Zyl tentou reabilitar na segunda-feira Pistorius, mencionando sua vontade de ajudar a melhorar a vida das crianças que, como ele, nasceram com uma grave deficiência física.

O atleta, que nasceu sem os perônios, precisou ser amputado aos 11 meses e passou a utilizar próteses. Ele se preparava para lançar sua própria fundação quando matou sua namorada, Reeva Steenkamp, que passava a noite de São Valentim em sua casa em 2013.

Em setembro foi considerado culpado de homicídio culposo, já que a juíza considerou que havia sido imprudente, mas que sua intenção homicida não podia ser demonstrada.

O atleta sempre alegou que abriu fogo contra Reeva através da porta fechada do banheiro acreditando que se tratava de um ladrão.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também