ONU afirma que Coreia do Norte viola as sanções

Relatório afirma que país ainda tenta enviar armas para a Síria e Mianmar e ilegalmente importar bens de luxo

Nações Unidas - A Coreia do Norte continua a violar as sanções impostas pela Organização das Nações Unidas (ONU) ao tentar enviar armas para a Síria e Mianmar e ilegalmente importar bens de luxo, afirma um esperado relatório produzido por um grupo de especialistas da ONU.

Não foram mencionadas violações envolvendo armas nucleares, químicas e biológicas ou mísseis balísticos no relatório do comitê de monitoramento de sanções do Conselho de Segurança, publicado na sexta-feira. Os mísseis vistos na parada militar para celebrar o centenário de Kim Il Sung podem ser falsos, afirma o documento.

O painel encontrou "amplas evidências" que a Coreia do Norte "continua a desafiar ativamente as medidas contidas na resolução", citando "técnicas elaboradas" utilizadas em "diversas interceptações de mercadorias proibidas". "Entretanto, apesar das resoluções não terem feito o país interromper as atividades banidas, elas deixaram as transações ilícitas significativamente mais difíceis e caras", afirma o relatório.

O Conselho de Segurança impôs sanções contra a Coreia do Norte após seu primeiro teste nuclear, em 2006, e as intensificou após o segundo teste em 2009, para tentar obstruir o programa nuclear do país. As informações são da Associated Press.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.