Mundo

OMS: é preciso derrotar "nacionalismo de vacinas" para superar pandemia

"Ainda há sérios desafios à distribuição equitativa de vacinas", afirmou o diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS (Fabrice Coffrini/Pool/Reuters)

Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da OMS (Fabrice Coffrini/Pool/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 1 de abril de 2021 às 13h51.

Última atualização em 1 de abril de 2021 às 14h09.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom, instou países com doses excedentes de vacinas contra a covid-19 a compartilhar os imunizantes com nações emergentes ou de baixa renda, que em parte ainda não tiveram qualquer acesso aos produtos. "Ainda há sérios desafios à distribuição equitativa de vacinas. Apesar de terem me ouvido, governos ainda precisam responder com ações ao meu pedido", disse Tedros, se referindo a declarações que deu na semana passada.

De acordo com o diretor-geral da OMS, a iniciativa Covax já distribuiu cerca de 35 milhões de doses de vacinas a dezenas de países.

Mas para que todas as pessoas que fazem parte dos grupos de maior risco da doença sejam vacinadas e a pandemia seja superada em nível global, é necessário "derrotar o nacionalismo de vacinas", segundo classificou Tedros.

 

Acompanhe tudo sobre:CoronavírusOMS (Organização Mundial da Saúde)PandemiaVacinas

Mais de Mundo

Diplomata da norte-coreano em Cuba foge para Coreia do Sul

Biden diz estar “totalmente comprometido” com sua campanha para derrotar Trump

Democratas irão confirmar Biden como candidato de forma virtual até o fim de julho

Democratas tentam impedir a nomeação virtual de Biden como candidato

Mais na Exame