Obama e Merkel discutirão programa de vigilância dos EUA

UE já exigiu explicações dos EUA por reportagem publicada em revista alemã dizendo que Washington estaria espionando países aliados na Europa

Washington - O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, buscou na quarta-feira tranquilizar a primeira-ministra alemã, Angela Merkel, acerca da suposta espionagem norte-americana sobre aliados europeus, e os dois concordaram em realizar nos próximos dias uma reunião de funcionários graduados para discutir o assunto.

A União Europeia já exigiu explicações dos Estados Unidos por uma reportagem publicada em uma revista alemã dando conta de que Washington estaria espionando países aliados na Europa, considerando a espionagem "chocante" se realmente for verdadeira.

A notícia surgiu ainda sob impacto da revelação de que os Estados Unidos monitoravam secretamente telefonemas e e-mails de milhões de pessoas, em um caso que provocou indignação internacional após ser revelado pelo ex-funcionário da agência de espionagem norte-americana Edward Snowden.

Em nota, a Casa Branca disse que Obama e Merkel conversaram por telefone, duas semanas depois de se encontrarem pessoalmente em Berlim, na Alemanha.

"O presidente tranquilizou a chanceler de que os Estados Unidos levam a sério as preocupações dos nossos aliados e parceiros europeus", disse a Casa Branca, observando que autoridades dos EUA e da UE irão discutir questões de privacidade e inteligência a partir do dia 8.

O ministro alemão do Interior, Hans-Peter Friedrich, disse que a Alemanha enviará subchefes de ministérios para avaliar os fluxos de informações que chegam à Alemanha, num esforço para proteger os cidadãos desse país.

O líder parlamentar do opositor Partido Social-Democrata, Thomas Oppermann, criticou o formato de delegação escolhido por Merkel.

"A chanceler precisa realizar consultas governamentais adequadas", disse ele a uma TV nesta quinta-feira. "Na semana que vem, uma delegação governamental de subchefes de ministérios irá a Washington, então basicamente tecnocratas estarão conversando sobre esse tópico. É uma questão altamente política." A Casa Branca disse que Obama e Merkel reiteraram seu forte apoio ao início das negociações de um acordo de livre comércio entre EUA e UE.

Na segunda-feira, em entrevista coletiva na Tanzânia, Obama prometeu fornecer todas as informações solicitadas por aliados europeus a respeito das denúncias de espionagem, as quais ele disse ainda estarem sendo avaliadas por Washington.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.