Modificação é proposta para referendo britânico sobre a UE

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, prometeu convocar o referendo sobre a saída do país da UE antes do final de 2017

Londres - A Comissão Eleitoral britânica recomendou nesta segunda-feira modificar a pergunta que será formulada no referendo sobre a permanência ou saída do Reino Unido da União Europeia (UE) para evitar acusações de parcialidade.

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, prometeu convocar o referendo antes do final de 2017 e a legislação que autorizará a consulta será debatida no parlamento ainda neste ano.

A pergunta introduzida no projeto de lei é: "Deveria o Reino Unido continuar como membro da União Europeia?", para a qual os eleitores deverão responder com um "sim" ou um "não".

No entanto, a comissão, supervisora de qualquer eleição no país, considerou hoje que essa pergunta deve ser modificada.

Propõe, por outro lado, perguntar "Deveria o Reino Unido permanecer como membro da União Europeia ou sair da União Europeia?", com as seguintes respostas "Permanecer na União Europeia" ou "Deixar a União Europeia".

O organismo supervisor indicou hoje que decidiu fazer esta proposta após uma profunda avaliação e após consultar com especialistas, por isso que enviou cartas ao governo e aos deputados britânicos para aconselhar a mudança uma vez que o projeto seja debatido no parlamento.

Nesse sentido, Cameron aceitou a recomendação, por isso que introduzirá uma emenda ao projeto de lei, informou hoje a residência oficial do primeiro-ministro, no 10 de Downing Street.

O presidente da Comissão Eleitoral, Jenny Watson, disse hoje que "qualquer pergunta formulada em um referendo deve ser a mais clara possível para que os eleitores entendam a importância de sua escolha".

Watson acrescentou que "agora o parlamento deve analisar nosso conselho e decidir a frase da pergunta".

O governo ainda não fixou a data para a realização da consulta, enquanto espera-se que o projeto legislativo seja aprovado sem problemas pois o Partido Trabalhista, primeiro da oposição, já antecipou que o respaldará.

Cameron disse antes de convocar o referendo, que alguns especialistas acreditam pode ocorrer em 2016, que buscará reformas na UE em questões como imigração e justiça.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.