Milionário Cartes vence e Partido Colorado volta ao poder

A eleição no Paraguai marcou o retorno ao poder do Partido Colorado, que havia sido derrotado em 2008 pelo esquerdista Fernando Lugo após seis décadas no comando

Assunção - O milionário Horacio Cartes, um novato no mundo da política, é o novo presidente do Paraguai, após uma eleição que marcou o retorno ao poder do hegemônico Partido Colorado, que havia sido derrotado em 2008 pelo esquerdista Fernando Lugo após seis décadas no comando do país.

Cartes, um empresário do setor de tabaco e dirigente esportivo de 56 anos, recebeu 45,91% dos votos, anunciou o Tribunal Superior de Justiça Eleitoral (TSJE), superando o principal rival, o senador governista Efraín Alegre, que ficou com 36,84% e reconheceu a derrota.

No discurso da vitória, no centro de Assunção, Cartes renovou a promessa de campanha de dar um novo rumo ao país.

"Na campanha eleitoral, falávamos que, ouvindo as pessoas, queríamos dar um novo rumo ao Paraguai. Quero reafirmar o compromisso assumido e ratificar agora ao Partido Colorado e a todos os outros partidos, e àqueles que não são de nenhum partido, que venceu o Paraguai, e o compromisso é com todos os paraguaios da república", assinalou.

O empresário prometeu "trabalhar para todos os paraguaios", principalmente para os mais necessitados, idosos, jovens e mulheres.

"Sinto que posso trabalhar para os mais de 6 milhões de paraguaios do meu país", assinalou, diante de militantes.

Um pouco antes, Alegre do governista Partido Liberal, admitiu a derrota.

"Procuramos obter a vitória, não foi possível. O povo paraguaio se pronunciou, e nós respeitamos. A cidadania resolveu através de sua participação, de sua decisão, de forma transparente, em um processo que consideramos adequado, um processo que garante o resultado", declarou Alegre.

Em entrevista coletiva, Alegre destacou a participação dos cidadãos, e agradeceu aos que o acompanharam em seu movimento, Paraguai Alegre.


O centro de Assunção foi tomado por simpatizantes de Cartes. Fogos de artifício foram utilizados para comemorar a vitória do Partido Colorado.

Nos locais de votação, durante todo domingo, os colorados já celebravam a vitória.

O novo presidente assumirá o poder em 15 de agosto, em substituição a Federico Franco, que completou o mandato iniciado em 2008 pelo ex-bispo católico Fernando Lugo, destituído pelo Congresso em 22 de junho de 2012, acusado de "mau desempenho das funções".

As eleições permitirão superar a crise política que provocou a suspensão do Paraguai dos fóruns regionais, Mercosul e Unasul. A saída de Lugo foi considerada um "golpe parlamentar" pelo ex-presidente e seus aliados políticos da região.

Os presidentes da Argentina, Cristina Kirchner, e do Uruguai, José Mujica, felicitaram Cartes pela vitória e convidaram o Paraguai a retornar ao Mercosul.

Mais de 300 observadores estrangeiros e 1.200 nacionais trabalharam nas eleições, nas quais 3,5 milhões de paraguaios estavam registrados para votar.

*Matéria atualizada às 13h38

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.