Mundo

Macron lamenta anúncio do Irã sobre aumento de urânio enriquecido

O Irã anunciou nesta segunda-feira (17) que pretende ultrapassar o volume de urânio estabelecido pelo acordo nuclear de 2015 em 10 dias

França: Macron não falou sobre a autoria dos ataques a dois navios petroleiros no Golfo de Omã (Ludovic Marin/Reuters)

França: Macron não falou sobre a autoria dos ataques a dois navios petroleiros no Golfo de Omã (Ludovic Marin/Reuters)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 17 de junho de 2019 às 16h54.

Última atualização em 17 de junho de 2019 às 16h58.

Teerã — O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou nesta segunda-feira que lamenta o anúncio do Irã de que, nos próximos dez dias, pode ultrapassar o limite de volume estocado de urânio estabelecido pelo acordo nuclear internacional de 2015. De acordo com ele, Teerã, até agora, tem respeitado as obrigações do acordo. "Encorajo fortemente o Irã a manter a atitude paciente e responsável", disse.

Macron se recusou a comentar quem estava por trás dos supostos ataque a dois navios petroleiros no Golfo de Omã e ressaltou que a França ainda está no processo de coleta de informações. O presidente francês reafirmou ser a favor de manter o acordo nuclear em vigor, mas ressaltou que deseja novas negociações para abranger as atividades de mísseis balísticos do Irã e as principais crise no Oriente Médio.

No ano passado, o governo de Donald Trump decidiu retirar os Estados Unidos do acordo nuclear internacional firmado com o Irã e impôs novamente duras sanções econômicas ao país persa. Fonte: Associated Press.

Acompanhe tudo sobre:Armas nuclearesEmmanuel MacronFrançaIrã - PaísTestes nuclearesUrânio

Mais de Mundo

Líderes mundiais condenam tentativa de assassinato de Trump

Ataque a Trump: o que sabemos sobre os tiros disparados contra o ex-presidente dos EUA

Trump pede 'união' dos americanos após atentado a tiros em comício eleitoral

Ataque a Trump: "Ainda é cedo para dizer se atirador agiu sozinho", dizem autoridades

Mais na Exame