Estamos de cara nova! E continuamos com o conteúdo de qualidade.
Nova Exame

Interpol se une à coalizão para lutar contra o EI

O secretário-geral da Interpol lembrou que graças à colaboração já existente entre Interpol e os EUA, foram obtidas "pistas da investigação de valor incalculável"

Paris - A Interpol se somou à coalizão internacional que luta contra o "fluxo de combatentes terroristas estrangeiros e o financiamento do Estado Islâmico (EI)", informou nesta sexta-feira a organização internacional de polícia.

"Intercambiar informação com a Interpol significa estender o perímetro de toda segurança nacional", disse em comunicado o secretário-geral da Interpol, Jürgen Stock, instituição que atuará como "catalisadora" em um esforço conjunto "para resistir ao terrorismo".

Stock, que participou da reunião ministerial de luta contra o EI realizada ontem em Washington, lembrou que graças à colaboração já existente entre Interpol e o Departamento de Defesa dos Estados Unidos, foram obtidas "pistas da investigação de valor incalculável".

Replicar este trabalho conjunto, segundo o secretário-geral, "melhoraria drasticamente o êxito das investigações" já que os esforços de aplicação da legislação são detidos às portas da zona de conflito "com muita frequência".

Por isso, apontou como passo fundamental "construir uma ponte" entre a zona de conflito, onde se encontra o núcleo do EI, e outros lugares sujeitos à aplicação de suas respectivas legislações, onde a organização radicaliza e combate.

Atualmente, a Interpol põe à disposição de seus membros uma base de dados com informação acerca de mais de 7.500 combatentes terroristas estrangeiros apresentada por cerca de 60 países. Isso sem contar com os milhares de expedientes adicionais que a organização utiliza com fins analíticos para proporcionar pistas à polícia no mundo todo.

Criada em setembro de 2014, esta coalizão internacional conta com 66 parceiros e cinco linhas de ação, três delas agora apoiadas pela Interpol. "Dificultar o fluxo de combatentes estrangeiros, deter o financiamento do EI e expor sua verdadeira natureza". 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também