Mundo

Hezbollah ataca Israel com mais de 100 foguetes após assassinato de comandante

Comandante Taleb Abdallah estava entre os membros de alto escalão do grupo terrorista mortos desde o início da guerra entre Teerã e o Hamas

Mateus Omena
Mateus Omena

Repórter da Home

Publicado em 12 de junho de 2024 às 13h51.

Última atualização em 12 de junho de 2024 às 13h51.

Tudo sobreConflito árabe-israelense
Saiba mais

O Hezbollah lançou um dos mais fortes ataques com foguetes contra Israel nesta quarta-feira, 12, visando bases militares e uma fábrica de armas.

O Exército israelense anunciou que cerca de 150 foguetes foram disparados pelo Hezbollah a partir do Líbano, em uma aparente resposta a uma ação noturna na terça, 11, que matou um dos principais comandantes do grupo.

O comandante, Taleb Abdallah, estava entre os membros de alto escalão do Hezbollah mortos desde o início da guerra entre Israel e Hamas em Gaza, que levou o movimento extremista a organizar ataques transfronteiriços em apoio ao Hamas.

Em um comunicado, os militares israelenses confirmaram a realização de um ataque no centro de comando e controle do Hezbollah, que resultou na morte de Abdallah e de três outros integrantes do grupo terrorista.

Por sua vez, o Hezbollah reivindicou disparos contra bases militares. O grupo libanês também declarou que fez ataques a uma fábrica de armas da Plasan, fabricante de veículos blindados utilizados pelo exército de Israel.

Até o momento, não houve relatos imediatos de vítimas dos ataques, segundo militares israelenses. O Exército informou em um comunicado que vários foguetes foram interceptados e que outros atingiram o solo e iniciaram incêndios.

Conflitos intensos

O Hezbollah é aliado do Hamas e do Irã em uma coalizão conhecida como Eixo de Resistência. O grupo terrorista e Israel trocam agressões pela fronteira há cerca de oito meses. Os ataques aumentaram neste mês, diante das ameaças do governo de Israel sobre uma escalada contra o rival ao norte.

Nesta quarta-feira, 12, os bombeiros israelenses trabalharam para extinguir as chamas, uma semana depois de outro ataque com foguetes do Hezbollah ter provocado incêndios florestais. Como resposta, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu emitiu uma ameaça de “ação muito intensa” ao longo da fronteira libanesa.

Os militares israelenses afirmaram ter atacado várias bases de lançamento de foguetes ao longo da fronteira. Enquanto a agência de notícias estatal do Líbano reportou intensos ataques aéreos e bombardeios israelenses em diversas áreas do sul do país.

Acompanhe tudo sobre:HezbollahIsraelConflito árabe-israelenseGuerras

Mais de Mundo

Netanyahu defende conflito em Gaza no Congresso americano e milhares protestam contra ele

Qual o país com o passaporte mais 'poderoso' do mundo?

'A defesa da democracia é mais importante do que qualquer título', diz Biden em discurso

Governo Lula se diz irritado com falas de Maduro, mas evita responder declarações

Mais na Exame