Mundo

Harry afirma que príncipe William fechou acordo secreto com imprensa britânica

Harry está em guerra contra a imprensa, a qual culpa pela morte de sua mãe Diana em 1997 em um acidente de trânsito em Paris

Príncipes William e Harry: irmãos travam batalha judicial  (AFP/AFP)

Príncipes William e Harry: irmãos travam batalha judicial (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 25 de abril de 2023 às 16h09.

Última atualização em 25 de abril de 2023 às 16h18.

O príncipe William, herdeiro britânico da coroa e príncipe de Gales, recentemente chegou a um acordo em um processo de hackeamento de telefone com um tabloide britânico, afirma seu irmão Harry em documentos judiciais divulgados nesta terça-feira, 25. 

Harry, de 38 anos, está em guerra contra a imprensa sensacionalista, a qual culpa pela morte de sua mãe Diana em 1997 em um acidente de trânsito em Paris, quando ela foi perseguida por paparazzi.

Harry lançou ações jurídicas contra os jornais britânicos, que ele acusa de coletar informações de forma ilegal, inclusive contra a News Group Newspapers (NGN), editora dos agora extintos "Sun" e "News of the World", e que faz parte do império do magnata Rupert Murdoch.

A NGN rejeita as acusações de Harry, argumentando que são inoportunas.

Em documentos produzidos para uma audiência nesta semana, os advogados do príncipe Harry revelam que William, com quem tem um relacionamento deteriorado, "recentemente" chegou a um acordo com a NGN "nos bastidores".

O gabinete do príncipe William se recusou a comentar.

O advogado do grupo editorial, Anthony Hudson, negou qualquer acordo com William.

Os documentos legais do príncipe Harry detalham que o atraso no processo se deve a um "acordo secreto" entre a família real e o grupo de imprensa.

Eles afirmam que a falecida rainha Elizabeth II esteve envolvida em "discussões e autorizações" sobre o acordo, que impediu que membros da família real processassem a NGN até que outros litígios relacionados às alegações de hackers fossem concluídos.

"A razão para isso foi evitar que um membro da família real fosse colocado no banco das testemunhas e contasse os detalhes das mensagens de voz privadas e altamente confidenciais que foram interceptadas", disse Harry.

Os documentos afirmam que Harry soube do trato em 2012. "Esse acordo" foi, segundo ele, um "fator importante para que não houvesse nenhuma reclamação de minha parte naquele momento", argumenta.

Harry e o cantor Elton John estão entre as seis figuras públicas que processam a editora do "Daily Mail", que acusam de coletar informações ilegalmente, usando os serviços de detetives particulares.

O juiz que escutará as apresentações desta semana decidirá se as denúncias contra a NGN passarão para julgamento em janeiro.

Acompanhe tudo sobre:Família real britânica

Mais de Mundo

Telão da Times Square fica escuro após apagão cibernético; veja vídeo

Convenção Republicana: da Ilha da Fantasia direto para a Casa Branca

Delta e American Airlines retomam voos após apagão online global

OMS confirma detecção do vírus da poliomielite no sul e no centro de Gaza

Mais na Exame