Mundo

Príncipe Harry irá participar da coroação do pai, mas sem Meghan e filhos

O anúncio põe fim ao intenso suspense de quase três semanas antes da coroação de Charles III

Harry e Megan: Nos últimos meses, o casal multiplicou os ataques contra a família real. (AFP/AFP)

Harry e Megan: Nos últimos meses, o casal multiplicou os ataques contra a família real. (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 12 de abril de 2023 às 12h27.

O príncipe Harry, que se distanciou da monarquia britânica, assistirá à coroação de seu pai, o rei Charles III, em 6 de maio, em Londres, mas irá sem sua esposa, Meghan, e seus filhos – informou o Palácio de Buckingham, nesta quarta-feira, 12.

"O Palácio de Buckingham tem o prazer de confirmar que o duque de Sussex participará da cerimônia de coroação na Abadia de Westminster em 6 de maio. A duquesa de Sussex permanecerá na Califórnia, com o príncipe Archie e a princesa Lilibet", disse o palácio em um comunicado.

O anúncio põe fim ao intenso suspense de quase três semanas antes da coroação de Charles III. A resposta do casal, que se mudou para os Estados Unidos em 2020, era muito aguardada desde o início de março, quando foi anunciado que eles haviam sido convidados para a cerimônia.

Ataques de Harry e Megan contra a família real

Nos últimos meses, Harry e Meghan multiplicaram os ataques contra a família real. Depois de uma série documental lançada em dezembro na Netflix, Harry publicou no mês seguinte suas polêmicas memórias na autobiografia "Spare" ("O que sobra" em português), nas quais detalha o rompimento de suas relações com o pai e o irmão, o príncipe William.

Harry e Meghan retornaram ao Reino Unido em raras ocasiões desde que se mudaram em 2020, entre elas, o funeral da rainha Elizabeth II, em setembro

Acompanhe tudo sobre:Família real britânicaRei-Charles-III

Mais de Mundo

Três pontos para prestar atenção na Convenção Republicana, que começa segunda

Argentina declara Hamas como 'organização terrorista internacional'

Para Rússia, mísseis dos EUA na Alemanha transforma capitais europeias em 'vítimas potenciais'

Esquerda francesa enfrenta impasse para nomear primeiro-ministro; entenda

Mais na Exame