Grupo de Macron tem vantagem apertada no 1º turno de eleição parlamentar

O quadro complica os esforços do líder para avançar com sua agenda pró-negócios
 (Charles Platiau/File Photo/Reuters)
(Charles Platiau/File Photo/Reuters)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 13/06/2022 às 12:02.

O presidente da França, Emmanuel Macron, corre o risco de perder sua maioria na Assembleia Nacional, após resultados do primeiro turno da eleição do domingo, 12, para o Parlamento mostrarem uma disputa acirrada com rivais à esquerda. O quadro complica os esforços do líder para avançar com sua agenda pró-negócios.

Os resultados mostravam que os candidatos de Macron levavam 25 75% da contagem nacional, e os do esquerdista Jean-Luc Mélenchon obtinham 25,66%. O partido de Marine Le Pen, de extrema-direita, levava 18,68% e os conservadores Les Républicains e seus aliados 10,42%.

Com isso, será preciso ver o segundo turno, em 19 de junho, para saber se o presidente manterá a maioria na Câmara dos Deputados, que tem 577 lugares. Candidatos que obtiveram ao menos 12,5% dos votos dos eleitores registrados no domingo se qualificaram para a rodada final na disputa.

A empresa de pesquisas Harris Interactive estimou que o partido de Macron, Renaissance, e seus aliados devem ter entre 260 e 300 cadeiras - a maioria exige 289 cadeiras.

A coalizão de Mélenchon levaria entre 150 e 208 postos e Les Républicains, entre 42 e 62, com o grupo de Le Pen ficando com entre 23 e 45.

VEJA TAMBÉM: