Fragata argentina retida desde outubro em Gana deixa porto

''O navio está finalmente saindo do porto'', confirmou também o diretor interino do porto de Tema, Jacob Adorkor

Acra – A fragata argentina ”Libertad” deixou nesta quarta-feira o porto de Tema, em Gana, onde ficou retida desde o dia 2 de outubro, informou à Agência Efe uma fonte da autoridade portuária do país africano.

”Ela se movimentou para fora do porto. Uma vez que está fora, pode ir embora”, acrescentou a fonte.

”O navio está finalmente saindo do porto”, confirmou também o diretor interino do porto de Tema, Jacob Adorkor, em declarações reproduzidas pela emissora ganesa ”Joy FM”.

Adorkor assegurou que a Suprema Corte do país africano revogou hoje a ordem que mantinha a embarcação militar retida e que receberam informação que o navio podia abandonar as instalações portuárias de Tema.

No sábado passado, o Tribunal Internacional sobre Direito do Mar (TIDM), com sede em Hamburgo (Alemanha), ordenou a liberação da fragata, o que o Governo ganês respondeu com a promessa de tentar revogar a ordem judicial que retém o navio.

O TIDM deu a Gana um prazo até o dia 22 de dezembro para que confirme a partida da embarcação argentina e exigiram que o país africano facilite o abastecimento do navio antes de abandonar suas águas jurisdicionais.

Nesta terça-feira, a presidente argentina Cristina Kirchner disse que a fragata chegará ao porto de Mar del Plata (400 quilômetros ao sul de Buenos Aires) no próximo dia 9 de janeiro.

No final do outubro passado, três semanas depois da retenção da fragata, 281 membros da tripulação foram retirados de Gana, enquanto ficou a bordo uma dotação mínima de 44 marinheiros, incluído o capitão.

A fim de realizar a operação de retorno da fragata, nesta manhã chegaram a Gana mais 98 marinheiros enviados pela Argentina.

A fragata, navio-escola da Marinha argentina há meio século, ficou imobilizada em Gana no último dia 2 de outubro por um processo dos fundos NML Capital para exigir o pagamento de bônus soberanos, assunto que tramita em Nova York e está pendente desde o final de 2001.

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.