Em risco de extinção, tatu-bola será mascote da Copa

Espécie 100% brasileira e ameaçada de extinção, o tatu-bola foi eleito pela Fifa o mascote oficial da Copa do Mundo de 2014

São Paulo O mascote da Copa do Mundo de 2014, que será sediada no Brasil, foi escolhido: a Federação Internacional de Futebol Associado (Fifa) protocolou nessa semana, no site de patentes europeias (OHIM), a imagem do tatu-bola (Tolypeutes tricinctus) para representar a competição de futebol.

A sugestão foi feita em fevereiro pela ONG Associação Caatinga, que atua em prol da conservação da biodiversidade do bioma no nordeste. Única espécie do mamífero que só existe no Brasil, o tatu-bola está em risco de extinção por conta da caça predatória e da destruição de seu habitat natural, nas regiões de Cerrado e Caatinga do país.

Por enquanto, a Fifa apresentou oficialmente, somente, a versão em preto e branco do mascote, mas versões coloridas da imagem já circulam na rede, baseadas em algumas afirmações da Federação a respeito de como será o desenho. A versão final do tatu-bola, que deve ser colorida e estar segurando uma bola de futebol, ainda será apresentada oficialmente.

De acordo com a Fifa, a espécie de tatu concorreu à vaga de mascote com outros animais – como o jacaré, a arara e a onça -, mas levou vantagem sobre eles porque faz referência à bola em seu nome, por ter a habilidade de curvar-se sobre si mesmo para se proteger, quando se sente ameaçado. A característica, inclusive, deve ser aproveitada nos vídeos e animações publicitários da Copa do Mundo de 2014.

Em breve, a Federação de Futebol iniciará uma votação na internet para decidir o nome do mascote da competição. O mesmo foi feito com a bola de futebol do evento, que foi batizada de Brazuca. Você tem alguma sugestão de nome para o tatu-bola?

Suporte a Exame, por favor desabilite seu Adblock.