Chipre conclui resgate de sírios que navegavam para a Itália

Os 345 refugiados sírios resgatados ontem por um cruzeiro turístico desembarcaram no Chipre

	Chipre: intenção dos imigrantes era chegar à Itália
 (Getty Images)
Chipre: intenção dos imigrantes era chegar à Itália (Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 26/09/2014 09:34 | Última atualização em 26/09/2014 09:34Tempo de Leitura: 10 min de leitura

Nicósia - Os 345 refugiados sírios resgatados ontem por um cruzeiro turístico desembarcaram nesta sexta-feira no porto de Limassol, no Chipre, após inicialmente negar-se a abandonar a embarcação porque sua intenção era chegar à Itália.

Os agentes da Guarda Costeira cipriota completaram hoje a operação de resgate iniciada ontem quando o centro de salvamento recebeu um sinal de auxílio de um pesqueiro que se viu à deriva no litoral de Pafos, no sudoeste da ilha.

Segundo informou hoje o Ministério de Defesa do Chipre, as 345 pessoas que estavam a bordo, 293 maiores e 52 crianças, foram resgatados por um cruzeiro turístico, que chegou à noite ao porto de Limassol, a segunda maior cidade do país.

De acordo com meios de comunicação locais, o destino final dos refugiados era a Itália, motivo pelo qual a maioria deles se negou a abandonar a embarcação.

Por este motivo, o transporte deles se prolongou por várias horas, já que as autoridades tentaram persuadi-los e, após uma longa negociação, todos os refugiados aceitaram ser transferidos ao porto de Limassol.

Os cidadãos sírios foram levados pelo cruzeiro turístico "Salamis Filoxenia", que se dirigia a Israel com 300 cidadãos russos a bordo, quando recebeu o sinal de auxílio e se dirigiu até a área para realizar o resgate.

As autoridades cipriotas asseguraram que está previsto que os refugiados, que estão bem de saúde, sejam transferidos a um centro de amparada de Kokkinotrimithia, no distrito de Nicósia.

Segundo a imprensa local, o custo da viagem teriam sido 6 mil euros para os adultos e 3 mil para cada criança sob a promessa de chegar à Sicília.

A polícia abrirá uma investigação para esclarecer as razões do naufrágio e identificar os traficantes, pois o capitão do bote pesqueiro abandonou a embarcação quando ficou à deriva.