Chineses se divorciam para escapar de imposto

O governo chinês adotou na sexta-feira uma nova legislação que prevê um imposto de 20% sobre o ganho de capital na venda de propriedades

Xangai - A China registrava nesta semana um aumento brusco do número de divórcios, depois que muitos casais perceberam que, caso se separassem momentaneamente, escapariam de um imposto sobre o ganho de capital imobiliário.

O governo central, que deseja conter os preços do setor imobiliário limitando a especulação, adotou na sexta-feira uma nova legislação que prevê um imposto de 20% sobre o ganho de capital na venda de propriedades.

No entanto, uma lacuna na lei permite sob certas condições que os casais que possuem dois bens imobiliários se divorciem, dividam as duas propriedades e revendam ao menos uma sem pagar impostos. Depois, os divorciados podem se casar novamente.

A economia obtida pode chegar a várias dezenas de milhares de euros.

As cidades de Cantão (sul), Harbin (norte) e Ningbo (leste) também registraram um fenômeno similar, segundo a imprensa.

Um funcionário advertiu as esposas contra os maridos volúveis, que aproveitarão a ocasião para se divorciar definitivamente.

Os preços dos apartamentos e das casas se converteram em um grave problema na China, onde o alto preço das casas nos últimos anos impediu que muitos habitantes se convertessem em proprietários.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.