Casos confirmados de coronavírus vão a 154 mil no mundo

Somente na China, o número de mortes alcançou 3.189

Os casos confirmados de coronavírus subiram para 154 mil no mundo. O Ministério da Saúde da China informou que mais 13 pessoas morreram devido ao vírus, elevando para 3.193 o número total de óbitos no país asiático (sem contar os balanços de Hong Kong e Macau).

Cerca de 80,9 mil pessoas foram contaminadas na China. A melhora do cenário levou as autoridades chinesas a flexibilizar as restrições de deslocamento na província de Hubei, onde fica Wuhan, de onde surgiu a pandemia.

Na Itália, segundo país mais atingido pela pandemia, o número de casos confirmados é de 21 mil. As mortes decorrentes do vírus já alcançaram mais de 1.200, com 250 óbitos somente nas últimas 24 horas, o maior aumento diário já registrado no mundo. Por outro lado, o número de pacientes recuperados é de 1.439.

Irã, Coreia do Sul e Espanha são os países que vêm em seguida no ranking de maior número de infectados pelo surto. No país europeu, o governo trabalha em um enorme plano de restrições à mobilidade para conter a contaminação. Todos os espanhóis provavelmente terão que se manter em casa, exceto se precisarem comprar comida, ir à farmácia e hospitais. Trabalho também deve ser restringido, bem como os transportes públicos e operações de linhas aéreas, trens, ônibus e embarcações.

Na França, onde pouco mais de 3.600 pessoas estão contaminadas com o coronavírus, o governo está orientando a população a só sair de casa em caso de emergência.

Estados Unidos

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta sexta-feira, 13, emergência nacional por causa do coronavírus, com base na Lei Stafford. A legislação permite que até 50 bilhões de dólares sejam enviados a estados e localidades específicas para ajudar no controle da pandemia.

O país registra pouco mais de 2 mil casos confirmados de coronavírus, entretanto, a velocidade de transmissão tem aumentado, gerando grande preocupação das autoridades locais. Até o momento, são 50 mortes decorrentes da pandemia.

Trump afirmou ter pedido a hospitais que acionem seus planos de emergência e que teria fechado uma parceria com o setor privado para acelerar a capacidade testes para confirmar o diagnóstico de coronavírus.

Ele disse também que, neste sábado, se submeteu ao teste do coronavírus, cujo resultado ainda não saiu. As especulações sobre uma possível contaminação de Trump aumentaram após a confirmação de que Fábio Wajngarten, Secretário de Comunicação da Presidência, contraiu a doença. Ele estava na delegação brasileira que visitou o presidente americano na Flórida.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.