Câmara dos EUA aprova orçamento para restante de 2011

Votação só aconteceu depois que democratas e republicanos concordaram com um corte de US$ 38,5 bilhões no orçamento

Washington - A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou nesta quinta-feira, com folga de votos, o orçamento federal para os seis meses que restam do ano fiscal de 2011, que inclui quase US$ 40 bilhões em gastos públicos.

Com 260 votos a favor e 167 contra, os congressistas americanos aprovaram a medida, anunciada na sexta-feira passada após intensas negociações.

A lei deve agora ser votada no Senado ao longo do dia. Lá, a medida irá precisar de pelo menos 60 votos para ser ratificada e seguir para sanção do presidente Barack Obama.

A medida orçamentária prevê um corte de US$ 38,5 bilhões, que afetarão uma ampla gama de programas dos departamentos de Trabalho, Saúde e Educação, além de suprimir fundos para a Agência de Proteção Ambiental (EPA) e para os departamentos de Polícia.

A medida "freia a hemorragia" e o esbanjamento de despesas, e "nos conduz pela via correta", declarou o presidente da Câmara dos Representantes, o republicano John Boehner, antes da votação.

Boehner reconheceu, no entanto, que o total de cortes de gastos ainda não é suficiente para os republicanos.

"É um acordo histórico (...) que nos ajudará a controlar o alto déficit", afirmou o congressista republicano Rodney Alexander, do estado da Louisiana.

A Câmara prevê votar nas próximas horas duas controversas medidas para, por um lado, eliminar fundos futuros aos centros de saúde reprodutiva e planejamento familiar da organização Planned Parenthood e, por outro, eliminar os fundos para a aplicação de partes da reforma de saúde promulgada em março de 2010.

Ambas foram concessões dos democratas em troca de evitar uma paralisação das atividades do Governo federal, a primeira desde 1995. A medida de despesas provisórias para financiar as operações das agências federais vence nesta sexta-feira.

A Câmara baixa também prevê começar nesta mesma quinta-feira o debate do orçamento do ano fiscal de 2012, que inicia no dia 1º de outubro, e o submeterá a votação nesta sexta.

Esse orçamento, apresentado na semana passada pelo republicano Paul Ryan, inclui cortes de US$ 6 trilhões para a próxima década.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.