Câmara dos EUA aprova muro; Trump ameaça parar governo por aval do Senado

Câmara dos Deputados acrescentou 5 bilhões de dólares para auxiliar presidente a construir o muro, mas o Senado americano resiste ao projeto

Washington - Republicanos da Câmara dos Deputados dos Estados Unidos acrescentaram na quinta-feira 5 bilhões de dólares ao projeto de lei de gastos governamentais para ajudar o presidente Donald Trump a cumprir a promessa de construir um muro na fronteira com o México, uma medida que tornou mais provável uma paralisação parcial do governo federal neste fim de semana.

É altamente improvável que o Senado aprove a legislação que passou pela Câmara, que financia agências responsáveis por atividades federais de aplicação da lei, verificações de segurança em aeroportos, exploração espacial e programas agrícolas, até o prazo de meia-noite desta sexta-feira.

 

Trump disse que não sancionará um projeto de lei separado aprovado pelo Senado para manter o governo funcionando até 8 de fevereiro porque o texto carece de fundos para o muro, uma de suas principais promessas de campanha em 2016, por isso os republicanos da Câmara se apressaram para acrescentar os recursos e acalmar o presidente.

Trump exigiu 5 bilhões de dólares para um muro na fronteira com o México que argumenta ser necessário para conter imigrantes ilegais e drogas, uma primeira parcela de um projeto gigantesco que os democratas rejeitaram por considerar ineficaz e um desperdício.

"O projeto de lei que está no plenário da Câmara todos sabem que não passará no Senado", disse o líder democrata no Senado, Chuck Schumer, a repórteres antes da votação.

Trump, que acusou democratas de politizarem o muro da fronteira, disse que o vê como um trunfo em sua campanha de reeleição de 2020. Na semana passada, em um encontro na Casa Branca com líderes democratas do Congresso, ele disse que teria "orgulho de paralisar o governo pela segurança na fronteira".

"Deixei minha posição muito clara. Qualquer medida que financie o governo tem que incluir a segurança na fronteira", disse Trump no evento na Casa Branca.

Na noite de quarta-feira o Senado aprovou um projeto de lei que amplia os fundos existentes para agências por sete semanas, empurrando a questão orçamentária para o próximo Congresso.

Mas especialistas conservadores de direita e parlamentares exortaram Trump a insistir no custeio do muro agora porque será impossível obtê-lo depois que os democratas assumirem o controle da Câmara em 3 de janeiro.

A incerteza sobre o financiamento abalou os mercados na quinta-feira, mas posteriormente foi ofuscada por outra bomba do governo Trump: a renúncia do secretário de Defesa, Jim Mattis.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.