Boris Johnson mantém conselheiro que rompeu confinamento

O conselheiro do primeiro-ministro britânico viajou no final de março com a esposa que apresentava sintomas de covid-19

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, resistiu aos pedidos de partidos da oposição neste sábado para despedir o conselheiro Dominic Cummings depois de ele viajar 400 km para o norte da Inglaterra, enquanto sua esposa apresentava sintomas de Covid-19.

Cummings, que planejou a campanha de 2016 para deixar a União Europeia durante o referendo do Brexit, viajou para Durham no final de março, quando um bloqueio rigoroso já estava em vigor.

O gabinete de Johnson disse que Cummings fez a jornada para garantir que seu filho pudesse ser tratado adequadamente, pois sua esposa estava doente com Covid-19 e havia uma “alta probabilidade” de que Cummings se sentisse mal.

“Eu me comportei de maneira razoável e legal”, disse Cummings a repórteres do lado de fora de sua casa, depois de pedir que adotem distanciamento de 2 metros, de acordo com as diretrizes do governo.

 

Quando um repórter disse que a decisão não parecia boa, ele disse: “Quem se importa com a boa aparência – é uma questão de fazer a coisa certa, não é sobre o que vocês pensam.”

Downing Street disse que suas “ações estavam de acordo com as diretrizes do coronavírus”.

Os ministros mais graduados de Johnson, incluindo Michael Gove, o secretário de Relações Exteriores, Dominic Raab, e o secretário de Saúde, Matt Hancock, defenderam Cummings.

Mas os partidos da oposição pediram a Johnson para demitir Cummings e disseram que as regras de bloqueio deixaram claro que aqueles com suspeita de sintomas de Covid-19 deveriam se isolar com toda a família.

“O conselheiro-chefe do primeiro-ministro parece acreditar que é uma regra para ele e outra para o povo britânico”, disse o Partido Trabalhista. “Ainda não sabemos quem sabia dessa decisão e quando, se foi sancionada pelo primeiro-ministro.”

Apenas alguns dias antes da jornada de Cummings, Johnson impôs um bloqueio no Reino Unido e pediu às pessoas que ficassem em casa. Ele disse em 23 de março que as pessoas “não deveriam encontrar membros da família que não moram em sua casa”.

O Partido Nacional Escocês e os Democratas Liberais pedem demissão de Cummings. Outras figuras de destaque renunciaram após violar as regras de bloqueio.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.