Biden pode confirmar envio de US$ 1 bi em equipamentos à Ucrânia em momento difícil da guerra

A ajuda americana acontece em momento em que a guerra se estagnou nas fronteiras leste e sul da Ucrânia, com poucos avanços para o governo em Kiev
Biden: ajuda militar dos EUA à Ucrânia chega perto de US$ 9 bilhões desde o início da guerra (JIM WATSON/AFP/Getty Images)
Biden: ajuda militar dos EUA à Ucrânia chega perto de US$ 9 bilhões desde o início da guerra (JIM WATSON/AFP/Getty Images)
C
Carolina RiveiraPublicado em 08/08/2022 às 06:00.

O governo dos Estados Unidos deve anunciar ainda nesta segunda-feira, 8, um novo pacote de ajuda militar à Ucrânia.

Fontes afirmaram à agência Reuters na semana passada que o valor pode chegar a US$ 1 bilhão, basicamente relativos a armas de alta tecnologia e veículos militares para transporte de feridos. O montante, se confirmado, será o maior já aprovado de única vez.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

Segundo a Reuters, o presidente Joe Biden ainda não havia assinado a medida antes do fim de semana, mas uma decisão final pode ocorrer nas próximas horas. Ao contrário de alguns outros montantes recentes aprovados rumo à Ucrânia, esse pacote tem autorização para ser enviado sem necessitar de aprovação no Congresso.

VEJA TAMBÉM: "O Brasil pode ter um papel de equilíbrio entre EUA e China", diz Hussein Kalout

Ao todo, entre armas e recursos diretos, os EUA já direcionaram o equivalente quase US$ 9 bilhões à Ucrânia desde o início da guerra, em 24 de fevereiro.

A guerra na Ucrânia supera cinco meses e sem sinal de que caminhe para um fim no futuro próximo, com negociações de paz estagnadas.

A ajuda americana acontece em um momento em que a Ucrânia, embora tenha conseguido garantir alguma normalidade nas áreas no norte do país, próximo à capital Kiev, tem sofrido perda de cidades-chave no leste e no sul.

VEJA TAMBÉM: Maior central nuclear da Europa é bombardeada na Ucrânia

A linha de frente da guerra hoje se concentra na região de Donbas, no leste (próximo à fronteira com a Rússia), e no sul, nos arredores da Crimeia - já anexada pela Rússia em 2014, em um movimento que foi um dos antecedentes do conflito atual.

Um dos destaques do novo pacote de ajuda são veículos altamente defensivos com equipamento médico. No mês passado, o Pentágono autorizou que soldados ucranianos sejam tratados em um hospital militar estadunidense na Alemanha. Com a capacidade de transporte dos veículos que podem vir após o pacote de US$ 1 bilhão, a expectativa é que a possibilidade de sobrevivência dos soldados ucranianos aumente. O número de mortos entre as tropas ucranianas figura entre 100 e 200 por dia, segundo o governo local.

Fique por dentro das principais notícias do Brasil e do mundo. Assine a EXAME.