Biden anuncia 'acordo de princípio' para evitar greve ferroviária nos EUA

"O acordo de princípio alcançado ontem à noite marca uma importante vitória para nossa economia e para o povo dos Estados Unidos", disse o comunicado no site da Casa Branca
A Associação das Ferrovias Americanas havia alertado que a greve pararia 7.000 trens (Spencer Platt/Staff/Getty Images/Getty Images)
A Associação das Ferrovias Americanas havia alertado que a greve pararia 7.000 trens (Spencer Platt/Staff/Getty Images/Getty Images)
A
AFPPublicado em 15/09/2022 às 13:24.

As empresas ferroviárias e os sindicatos dos Estados Unidos chegaram a um acordo de princípio para evitar uma grande greve planejada neste fim de semana, anunciou o presidente dos EUA, Joe Biden, em comunicado nesta quinta-feira.

"O acordo de princípio alcançado ontem à noite marca uma importante vitória para nossa economia e para o povo dos Estados Unidos", disse o comunicado no site da Casa Branca.

"Os ferroviários terão melhores salários, melhores condições de trabalho e tranquilidade em relação ao seguro de saúde", acrescentou.

A greve ameaçou interromper o transporte de cargas, mas também de passageiros, dois meses antes das eleições legislativas nas quais o Partido Democrata de Biden corre o risco de perder o controle do Congresso.

A pressão vinha crescendo em ambos os lados para chegar a um acordo. A operadora ferroviária nacional, Amtrak, já havia cancelado linhas de passageiros em antecipação a interrupções, enquanto agricultores e varejistas alertavam para o caos que uma greve causaria em uma cadeia de suprimentos já interrompida pela pandemia de covid-19.

O anúncio do acordo de princípio ocorreu depois que empresas ferroviárias de carga e dois sindicatos que representam principalmente os maquinistas foram convocados para uma reunião no Departamento do Trabalho em Washington na quarta-feira, em um esforço para evitar uma greve na sexta-feira à meia-noite.

"Agradeço aos sindicatos e às companhias ferroviárias por negociarem de boa fé e chegarem a um acordo de princípio que manterá nosso sistema ferroviário em funcionamento e evitará interrupções em nossa economia", disse Biden.

Biden expressa regularmente forte apoio aos trabalhadores, mas também busca evitar mais danos econômicos antes das eleições parlamentares de meio de mandato em 8 de novembro.

Os eleitores já estão preocupados com o aumento dos preços devido à pandemia, em que os problemas da cadeia de suprimentos têm sido um flagelo constante e a inflação anual atingiu a máxima de 40 anos.

"Não existe substituto"

A Associação das Ferrovias Americanas havia alertado que a greve pararia 7.000 trens, custando US$ 2 bilhões por dia.

As demandas dos sindicatos não são tanto sobre salários, mas sobre dias de folga e licenças médicas. Os funcionários reclamam que às vezes precisam trabalhar por longos períodos devido à falta de pessoal.

"Momentos atrás, após mais de 20 horas consecutivas de negociações no Departamento do Trabalho, as ferrovias e os negociadores sindicais chegaram a um acordo de princípio que equilibra as necessidades dos trabalhadores, empresas e economia de nossa nação", tuitou o secretário do Trabalho dos EUA, Marty Walsh.

Biden nomeou um painel de arbitragem em julho para facilitar as negociações e evitar uma paralisação trabalhista.

Agricultores e varejistas alertaram que uma greve atingiria as cadeias de suprimentos dos EUA já atingidas pela pandemia.

"Não há substituto para o transporte de produtos", disse Zippy Duvall, presidente da Federação Americana de Agências Agrícolas, na quarta-feira.

A Federação Nacional do Varejo (NRF) chamou o trem de carga de "crucial para a cadeia de suprimentos do varejo".

"O momento coincide exatamente com o pico da temporada de embarque para os feriados de inverno, e uma greve ferroviária neste momento seria um golpe inflacionário significativo para uma economia já cambaleante", alertou o diretor executivo da NRF, Matthew Shay, antes do anúncio de Biden.

LEIA TAMBÉM:

Biden: Preços estão estagnados, mas há trabalho a ser feito para conter inflação

Biden: pacote contra inflação criará empregos e ajudará famílias