Avanços em vacinação nos EUA esbarram na dura realidade

Preocupação com novas cepas mais contagiosas e a necessidade de vacinar mais de 300 milhões de pessoas são desafios nos EUA, apesar do avanço na vacinação

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, deu a boa notícia aos americanos de que haverá vacinas de sobra contra a covid-19 dois meses antes do esperado, mas sua mensagem incluía uma realidade preocupante: a pandemia não está perto do fim.

Na terça-feira, Biden anunciou novos avanços: a autorização de uma terceira vacina, a aceleração das entregas, uma via rápida para vacinar professores e reabrir escolas e uma parceria entre dois gigantes farmacêuticos.

Mas pouco antes do pronunciamento de Biden, o governador do Texas, Greg Abbott, suspendeu a obrigatoriedade de usar máscaras no estado e outras restrições à pandemia, desafiando alertas das autoridades de saúde sobre os perigos de abandonar essas precauções cedo demais.

Ao mesmo tempo, a variante do Reino Unido, mais contagiosa, deve se tornar a principal cepa do coronavírus dos Estados Unidos neste mês. Outros países buscam evitar a propagação de outra variante do Brasil, e muitas nações estão muito atrás na corrida para vacinar suas populações.

Até mesmo as letras miúdas da parceria das farmacêuticas mostram os limites dos avanços dos Estados Unidos na luta contra a pandemia. O acordo entre Johnson & Johnson e Merck & Co. é sustentado pela necessidade de continuar produzindo vacinas e medicamentos por meses e meses, se não mais, sinalizando que não há fim rápido.

E um excesso de oferta levanta alguns problemas mais cedo — falta de pessoas para administrar vacinas e milhões que não as tomam — e acelera outros, com estados como o Texas reabrindo totalmente apesar dos apelos dos Centros de Controle de Doenças dos Estados Unidos e Prevenção e outros especialistas.

No geral, o tom de Biden foi realista em um evento que de outra forma seria convocado como uma celebração. “Estamos indo na direção certa”, disse. “Mas tenho de ser honesto com vocês: essa luta está longe de terminar.”

Embora muitos desafios permaneçam fora do controle de Biden, alguns não estão. Ele também anunciou na terça-feira um esforço para dar maior prioridade a professores, funcionários de creches e de escolas na vacinação. Biden pediu aos estados que esses grupos recebam pelo menos uma dose antes do final do mês, ao mesmo tempo que disse que usaria um programa de vacinação em farmácias para esses profissionais. Pegou alguns de surpresa.

Com a colaboração de Angelica LaVito e Justin Sink.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.