“Ainda não é a hora de encerrar a quarentena”, diz Boris Johnson

Em discurso na TV neste domingo, o primeiro-ministro britânico afirmou que o comércio só deve voltar a reabrir no começo de junho no Reino Unido

Em um discurso na televisão neste domingo, o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, afirmou que ainda não é possível encerrar a quarentena no país nesta semana, apesar dos anseios da população para uma reabertura. Embora o número de casos esteja estável, a situação da epidemia do novo coronavírus ainda é delicada. O Reino Unido é o segundo país do mundo mais mortes, ficando atrás somente dos Estados Unidos.

“Embora tenhamos progredido em satisfazer pelo menos algumas das condições que eu dei (para a reabertura), de modo algum cumprimos todas elas. E, portanto, não, não é o momento de simplesmente encerrar o confinamento nesta semana”, disse o primeiro-ministro britânico.

Segundo Boris Johnson, o governo  espera liberar o funcionamento de parte do comércio e das escolas no início de junho. No entanto, restaurantes e cafés devem continuar fechados pelo menos até julho.

No seu discurso, Johnson apresentou um plano de reabertura gradual do país que deve ser feito em cinco etapas. A primeira medida é a permissão para que os britânicos possam voltar a fazer exercícios ao ar-livre e a frequentar praças e parques no país. No entanto, as pessoas devem evitar aglomerações e manter uma distância de pelo menos dois metros umas das outras. Os detalhes das próximas etapas do plano devem ser divulgados nesta segunda-feira, 11.

Para fazer a reabertura, o governo vai se basear em um novo sistema de alerta que classifica o risco da epidemia em um nível de 1 a 5, do menor para o maior risco. Segundo Boris Johnson, o país se encontra hoje no nível 4, o que ainda é um nível elevado para uma reabertura. Será necessário que o nível caia para que as medidas de quarentena continuem a ser relaxadas.

Neste domingo, o primeiro-ministro recebeu críticas depois de o governo britânico decidir mudar o slogan das medidas de combate à covid-19. Em vez de “Stay at Home” (fique em casa), o slogan agora será “Stay Alert” (fique alerta). Os líderes da Escócia, da Irlanda do Norte e do País de Gales criticaram o novo slogan do governo, dizendo que ele é muito vago e pode fazer com que as pessoas comecem a sair de casa antes da hora.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.