2016 de novo? Hackers russos são suspeitos de atacar campanha de Biden

A Microsoft teria alertado a campanha do democrata Joe Biden, dizem fontes ouvidas pela Reuters. A eleição presidencial americana acontece em 3 de novembro

Hackers russos teriam tentado atacar comunicações da campanha do democrata Joe Biden nos Estados Unidos. Segundo fontes informaram à agência Reuters, a Microsoft alertou recentemente uma das principais figuras da campanha de Biden sobre as tentativas, que se alongaram pelos últimos dois meses.

O alvo eram funcionários da agência SKDKnickerbocker, uma consultoria de comunicação e estratégia que trabalha para Biden e para outros democratas. Uma fonte disse à Reuters que as tentativas não tiveram sucesso porque a SKDK seria "bem protegida".

Tanto a SKDK quanto a Microsoft e porta-vozes da campanha de Biden ainda não falaram oficialmente sobre o caso.

Já um porta-voz do governo russo, Dmitry Peskov, disse hoje que as acusações são "absurdas".

Biden está liderando as eleições segundo as últimas pesquisas. Em sondagem EXAME/Ideia feita nos EUA e publicada no começo do mês, o democrata tem 52% das intenções de voto, ante 44% de Trump. Biden também ganha nas costas leste e oeste, tradicionais redutos democratas, e perde no sul, onde republicanos são mais fortes.

Nos estados decisivos do meio oeste -- o que importa para a eleição americana, que não leva em conta os votos absolutos nacionais --, Biden ou vence ou empata com Trump, o que torna a eleição mais imprevisível. É o caso de lugares como Michigan, Wisconsin, Indiana e Ohio.

Possíveis tentativas de interferência russa nas eleições estão no radar desde as polêmicas do último pleito.

Em 2016, quando o presidente Donald Trump se elegeu contra a democrata Hillary Clinton, investigações concluíram que hackers russos tentaram (e conseguiram) interferir na campanha. Segundo a investigação da inteligência do Senado e chefiada pelo ex-procurador Robert Mueller, os russos que tentaram influenciar a eleição eram ligados ao governo russo, do presidente Vladimir Putin. A Rússia nega.

Além de ataques hackers, o Departamento de Justiça americano disse ainda que russos fizeram outras ações durante a campanha. Entre elas está a compra de anúncios contra Hillary no Facebook e a organização de manifestações pró-Trump usando contas falsas de e-mail e Facebook, incluindo até mesmo pagamento de quem fosse a manifestações.

Ainda não está claro se o caso com a SKDK dessa vez mirava Biden ou outros clientes da agência, que frequentemente presta serviços para o Partido Democrata. A diretora da agência, Anita Dunn, foi diretora de comunicação do presidente Barack Obama e é conselheira da campanha de Biden.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.