Huawei contrata Ivete Sangalo para sua 1ª campanha publicitária no Brasil

A chinesa acelerou o ritmo de lançamento de produtos, prepara sua estreia em computadores e vai construir 12 laboratórios de desenvolvimento de tecnologia 5G em diversas cidades brasileiras

Após receber o aval do governo para fornecer infraestrutura para a rede 5G no Brasil, a chinesa Huawei quer recuperar o espaço perdido. A empresa acelerou o ritmo de lançamento de produtos, prepara sua estreia em computadores e vai construir 12 laboratórios de desenvolvimento de tecnologia 5G em diversas cidades brasileiras. Para ajudar nessa nova fase, a companhia escalou a cantora Ivete Sangalo para sua primeira campanha publicitária no país.

Os laboratórios vão desenvolver novas tecnologias para o uso da fibra óptica em parceria com faculdades e instituições de ensino. Semana passada, um desses espaços foi inaugurado em Niterói. Depois virão cidades em Piauí, Ceará, Amazonas, Tocantins e Minas Gerais, entre outros estados. A fábrica da Huawei, que vai fornecer equipamentos para as teles, será ampliada, de olho no leilão de 5G, previsto para meados deste ano.

— Queremos acelerar a transformação digital no Brasil e fazer novas parcerias com as operadoras — disse Daniel Dias, gerente sênior de Desenvolvimento do Ecossistema da Huawei Brasil.

Ele conta ainda que a empresa vai acelerar os investimentos em novos produtos. Recentemente, a Huawei lançou seu smartwatch e estreou no segmento de balanças digitais inteligentes. A balança da gigante chinesa tem 11 índices corporais principais de saúde, como: batimento cardíaco, peso, IMC (Índice de Massa Corporal), percentual de gordura corporal, massa livre de gordura, massa muscular esquelética, percentual de água corporal,, nível de gordura visceral e taxa metabólica basal.

Os planos da companhia ainda incluem tablets, computadores, monitores e notebooks.

A empresa, porém, ainda não vai retomar os smartphones — o último lançamento foi há quase um ano. Por causa das restrições impostas pelos EUA, a Huawei não pode usar o sistema operacional do Google em seus aparelhos, incluindo os aplicativos. Ela busca, agora, desenvolver seu próprio sistema.

— Estamos sem previsão de lançar smartphones no Brasil. Por isso, estamos focando em outras categorias. Em 2020, as nossa vendas de notebooks tiveram alta de 150% no mundo, e as de fones, de 75%. Estamos presentes em diversas categorias no exterior e queremos ampliar os negócios aqui, com a estreia em novas categorias — afirmou Dias, ressaltando que os celulares já lançados continuam tendo atualizações do Google.

Segundo um analista do setor, a estratégia da Huawei segue o plano de negócios de outras chinesas, como a Xiaomi, e das coreanas Samsung e LG. Além disso, a empresa, que sofre com o bloqueio de 5G em alguns países, como EUA e Inglaterra, precisa acelerar as fontes de receitas em países onde sua atuação está liberada, como no Brasil, um dos dez mercados mais relevantes para a Huawei fora da China.

— É preciso se movimentar e acelerar as receitas, seja com novos produtos e marketing, e ajudar no desenvolvimento de estudos com faculdades — disse o consultor Antônio Cesar Carvalho.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.