Marketing

Cannes: CTO da OpenAI fala sobre desafios e oportunidades da IA na criatividade humana

Em painel com David Droga, CEO da Accenture Song, durante o festival de publicidade na França, Mira Murati discute impactos e incertezas da inteligência artificial e o futuro da inovação criativa

Arquivo: Mira Murati, CTO da OpenAI  (Eugene Gologursky/Getty Images)

Arquivo: Mira Murati, CTO da OpenAI (Eugene Gologursky/Getty Images)

Rafael Davini
Rafael Davini

Chief Sales Officer (CSO)

Publicado em 18 de junho de 2024 às 17h53.

Última atualização em 18 de junho de 2024 às 23h26.

Tudo sobreCannes Lions
Saiba mais

CANNES - Mira Murati, CTO da OpenAI, e David Droga, CEO da Accenture Song, discutiram os desafios e as oportunidades que a inteligência artificial (IA) apresenta para a criatividade humana, nesta segunda-feira, 17, no primeiro dia do festival Cannes Lions 2024. Conhecido como o ‘Oscar’ da publicidade, o evento deve reunir 12 mil pessoas na cidade francesa até o dia 21 de junho.

A executiva destacou a posição da OpenAI, dona do ChatGPT, na revolução tecnológica atual e a dificuldade para lidar com as expectativas crescentes em torno da IA. "Imagine tentar explicar para minha mãe o que eu estava fazendo momentos antes do lançamento. Surgiram perguntas loucas. Até hoje é difícil para a maioria das pessoas entender o que é e como isso afetará seus negócios", disse Murati.

O painel também abordou a gestão do mundo dos criadores e artistas e o processo de descoberta das potencialidades da plataforma. A CTO da Open AI destacou que esse movimento pode acelerar a maturidade da tecnologia, mas sem compreensão, a incerteza permanecerá. "Não há volta atrás", afirmou ela, reconhecendo a 'paranoia' existente entre clientes e agências.

Os modelos de linguagem (LLM, na sigla em inglês), como GPT-4 e Gemini, do Google, foram lançados há apenas alguns anos, o que, na visão dos executivos, ainda há um longo caminho de evolução. Murati enfatizou que, à medida que mais pessoas se envolvem no desenvolvimento da IA, mais rapidamente seu uso se disseminará, reduzindo o estresse associado. Além disso, regulamentos, regras, ética e parâmetros estarão mais bem definidos.

“As pessoas precisam entender o que é a IA e os benefícios que pode trazer para os negócios. Existe uma fricção natural entre o mundo virtual e o físico que precisa ser resolvida. As eleições são um desafio e as fronteiras precisam ser discutidas antecipadamente. Todos devem usar as ferramentas e acompanhar seu avanço, implementando-as e adotando-as como parte do processo dessa nova realidade. Nunca tenha medo da tecnologia, porque ela veio para ficar", afirmou o CEO da Accenture Song.

Na visão dos executivos, os criativos devem explorar as ferramentas de IA ao máximo, pois isso reduzirá o estresse e a incerteza. “Precisamos descobrir como trazer do mundo virtual ideias que correspondam aos desejos do mundo real, atendendo às suas necessidades. É importante desenvolver ferramentas que tragam benefícios positivos para a sociedade, melhorando todos os tipos de atividades. São tempos assustadoramente emocionantes que dependerão de nós para reduzir essas diferenças", concluiu Droga.

Acompanhe tudo sobre:Cannes LionsPublicidadeInteligência artificial

Mais de Marketing

Como a marca Sol de Janeiro se tornou sucesso entre as gerações Z e Alpha

ChatGPT da Ypê: assistente virtual tira dúvidas sobre cuidados com a casa

NBA fecha acordo bilionário com ESPN, Amazon e NBC para transmissão

Outback lança hambúrguer com batata chips em parceria com a Ruffles

Mais na Exame