Minhas Finanças

Empréstimo pessoal: veja quanto custa em 6 bancos e como contratar

Pesquisa do Procon mostra as taxa de juros cobradas na modalidade de empréstimo

Por Fernanda Bastos
Publicado em 12/05/2022 06:00
Última atualização em 13/05/2022 16:52

Tempo de Leitura: 4 min de leitura

As taxas cobradas em empréstimos pessoais variam entre 4,05% e 8,43% em seis bancos do país, segundo dados divulgados pelo Procon de São Paulo

As instituições financeiras que participaram do levantamento foram: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú, Safra e Banco Santander. 

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

De acordo com a pesquisa, nenhum dos bancos participantes modificou a taxa de empréstimo para este mês. Os juros médio cobrados foram de 6,77% ao mês – número que indica estabilidade em relação ao mês anterior. 

A recomendação da equipe do Procon-SP é que o brasileiro recorra a esse tipo de empréstimo quando o custo-benefício for positivo. A prioridade deve ser sempre economizar dinheiro para realizar compras à vista. 

Veja abaixo a pesquisa completa do Procon-SP:

Bancos Empréstimo pessoal (ao mês) Banco do Brasil 6,17% Bradesco 8,43% Caixa Econômica Federal 4,05% Itaú 8,18% Safra 5,90% Santander 7,89%

Onde fazer um empréstimo pessoal?

Existem diversos bancos que oferecem esse tipo de serviços como o Banco do Brasil, Santander e Nubank.

Além dos bancos, também existem outras companhias, como o Serasa e fintechs especializadas em crédito.

Como calcular os juros de empréstimo pessoal?

A taxa de juros do empréstimo pessoal varia de 3,8% a 5,8% nos grandes bancos, segundo dados do Banco Central.

A conta para calcular os juros do empréstimo é simples: somar as prestações, multiplicando pelo tempo do contrato.

Depois, basta dividir o valor total do empréstimo pela taxa ao mês. Lembre-se que é necessário converter a taxa de juros por porcentagem. Ou seja, se a taxa é 8%, na conta ela ficará como 0,08.

A próxima etapa é calcular o juros mais as prestações. Para encontrar o valor total a pagar, isto é, o juros mais as prestações. você precisará do valor da prestação ao mês (resultado da primeira conta), do valor do juros ao mês (resultado da segunda conta). Basta somar os dois e você chegará ao resultado.

Multiplique o resultado pelo período de meses que durará o contrato. Para descobrir o valor dos juros basta subtrair o valor do empréstimo inicial do valor total a pagar.

Existem também apps que calculam o valor da taxa de juros, como Juros Fácil, para aparelhos com sistema Android, e Calculadora de Juros, na App Store, e podem auxiliar esse processo.

Como conseguir um empréstimo pessoal?

Para fazer um empréstimo pessoal, é necessário comprovar renda. Seja como autônomo, CLT ou pelo recebimento de alguma renda passsiva, as instituições financeiras precisam de um extrato bancário com a renda mensal do tomador do crédito.

Para conseguir um empréstimo pessoal é necessário entrar em contato com a instituição financeira onde prefere fazer o empréstimo e fazer a solicitação.

Para escolher a melhor opção que cabe no seu bolso, o ponto mais importante é analisar os valores de juros e parcelas a serem pagas mensalmente.

Como funciona o empréstimo pessoal?

Um empréstimo nada mais é do que pegar um dinheiro emprestado de uma instituição e devolvê-lo em pequenas parcelas mensais. Em troca, os bancos recebem juros e taxas.

Em resumo, você receberá uma quantia de dinheiro que não tem no momento para quitar uma dívida e irá pagá-la aos poucos, em parcelas.

Como cancelar um empréstimo pessoal?

É preciso entrar em contato com a instuição na qual você realizou o empréstimo e comunicar o desejo de cancelar o crédito. Para cancelá-lo, será necessário pagar o saldo devedor.

Geralmente, os bancos geram um protocolo para a realização do cancelamento. É aconselhável anotar esse número em caso de futuras consultas.

Quer investir melhor? Aprenda agora e tenha acesso as notícias mais importantes com a newsletter da EXAME Invest

Existe um prazo de 7 dias corridos após o recebimento do montante para devolver o dinheiro e cancelar o contrato. Assim, o cancelamento é mais simplificado e basta somente devolver a quantia total. Esse direito está assegurado no artigo 49 do Código de Defesa do Consumidor. O direito se aplica aos empréstimos realizados online.

Caso o prazo de 7 dias tenha passado, existem outras opções. É preciso se atentar às regras de contratação e titularidade. Mas, na prática, uma instituição que realiza o empréstimo não pode recusar o seu cancelamento. Existem penalidades no Código do Consumidor, caso isso aconteça.


Veja Também