Como calcular quanto meu investimento vai render?

Planejador financeiro responde dúvida de leitor sobre investimentos. Envie você também sua pergunta
Renda fixa: Cálculo depende de rendimentos serem pré ou pós-fixados (Gustavo Mellossa/iStock/Getty Images)
Renda fixa: Cálculo depende de rendimentos serem pré ou pós-fixados (Gustavo Mellossa/iStock/Getty Images)
M
Marco Harbich, planejador financeiro certificado pela Planejar

Publicado em 13/11/2019 às 05:01.

Última atualização em 13/11/2019 às 12:43.

Pergunta do leitor: Existe algum cálculo para saber qual será o meu rendimento no resgate de uma aplicação ou antes do prazo de vencimento?

Resposta de Marco Harbich, CFP®:

Olá leitor, esta pergunta é muito frequente e relevante. A resposta para o teu questionamento é sim: é possível, mas há algumas observações.

Somente como uma breve introdução, nos produtos de renda fixa existem as rentabilidades pré e pós fixadas. Nos investimentos pré-fixados, o investidor saberá o seu ganho financeiro no momento da aplicação. Já os investimentos pós-fixados, o investidor sabe qual será a rentabilidade relativa no momento da aplicação, mas só saberá a rentabilidade financeira no seu vencimento.

 

Existem também os ativos indexados, cuja rentabilidade é atrelada à um índice de preço mais uma parte pré-fixada. Um exemplo são os títulos Tesouro IPCA ou Tesouro IPCA com Juros Semestrais. É importante salientar que a rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura.

Para melhor entendimento, segue exemplo. Se o investidor aplicar 100.000,00 reais no Tesouro Pré-Fixado, com rentabilidade pré-fixada de 10% para o prazo de 1 ano, no momento da aplicação ele saberá que ganhará lucros de 10.000,00 reais no vencimento.

Se aplicar os mesmos 100.000,00 reais no Tesouro Selic, ele saberá que a rentabilidade será a taxa Selic, mas não saberá quanto estará esta taxa no futuro. Neste caso, o investidor poderá verificar a expectativa da tendência da taxa Selic, se será de aumento ou de queda.

Para saber a rentabilidade líquida (após desconto do IR), existe a tabela regressiva, que começa em 22,5% e termina na alíquota de 15%, após 720 dias de aplicação. No exemplo acima, o investidor teria 8% de rentabilidade líquida (10% de lucro - 20% do IR = 8%).

 

 

Um ponto importante: se a taxa de juros estiver maior no momento do resgate antecipado (antes do vencimento), o investidor pode ter rentabilidade negativa nos títulos pré-fixados, pois a alteração da taxa de juros interfere diretamente no preço do título. Caso o vencimento seja cumprido, este risco não ocorre, mesmo que a taxa seja diferente no momento da aplicação.

* Marco Harbich é planejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar - Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. Email: marco.harbich@superrico.com.br

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do site Exame ou da Planejar. O site e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Envie suas dúvidas sobre investimentos para seudinheiro_exame@abril.com.br.

Veja Também

CVM promove Semana Mundial do Investidor 2022; veja como participar
Onde Investir
Há 10 horas • 2 min de leitura

CVM promove Semana Mundial do Investidor 2022; veja como participar

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,4 bilhão em agosto
Onde Investir
Há 12 horas • 3 min de leitura

Vendas do Tesouro Direto superam resgates em R$ 1,4 bilhão em agosto

Fim do ciclo de alta da Selic? Como ficam os investimentos?
Onde Investir
Há 21 horas • 4 min de leitura

Fim do ciclo de alta da Selic? Como ficam os investimentos?

Como esse especialista do BTG Pactual investiria R$ 20 mil hoje
BTG Insights
Há um dia • 4 min de leitura

Como esse especialista do BTG Pactual investiria R$ 20 mil hoje