Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

Brasileiros continuam inadimplentes, mas com menos dívidas, aponta Serasa

Em um ano até novembro, total de pessoas com nome sujo subiu 1,9%, mas número de contas atrasadas caiu 3,3%
Bancos, água e luz representam a maior parte das dívidas negativadas no país (Paulo Fridman/Bloomberg/Bloomberg)
Bancos, água e luz representam a maior parte das dívidas negativadas no país (Paulo Fridman/Bloomberg/Bloomberg)
D
Da RedaçãoPublicado em 21/01/2020 às 12:10.

São Paulo - O Brasil tinha, em novembro de 2019, 63,84 milhões de pessoas inadimplentes que acumulavam 234,43 milhões de contas não pagas e negativadas, de acordo com dados da Serasa Experian.

Os resultados representam uma alta de 1,9% no total de inadimplentes quando comparados com novembro de 2019, mas uma queda de 3,3% no número de contas atrasadas. Isso significa que, na média, cada pessoa inadimplente chegou a novembro do ano passado com menos dívidas do que um ano antes.

Em novembro de 2019, cada brasileiro com o nome sujo tinha, em média, 3,5 contas negativadas, ante média de 3,7 contas em 2018.

Dívidas de telefonia caem e de loja e banco sobem

O setor de telecomunicações, que embute as contas de telefone, celular, internet e canais de televisão, liderou a queda no número de dívidas em um ano: em novembro de 2018 ele representava 12,8% das contas atrasados e, em novembro de 2019, caiu para 10,4% do total.

Os demais segmentos tiveram ligeiro aumento de um ano para outro, caso das dívidas com bancos e cartões, que representam a maior parcela das dívidas e subiram de de 27,5% para 28,1% entre 2018 e 2019. Elas são seguidas pelas contas de serviços como água e luz, que foram de 19,6% para 20,4% do bolo total de dívidas de um ano para o outro.