Acompanhe:

As ações que devem pagar mais dividendos em 2011

Estudo do HSBC mostra que as empresas que vão distribuir maiores lucros entre os acionistas são do setor de energia elétrica

Eletropaulo: estimativa de retorno com dividendo é de 18% em 2011 (Germano Luders/EXAME)

Eletropaulo: estimativa de retorno com dividendo é de 18% em 2011 (Germano Luders/EXAME)

M
Marcela Ayres

10 de dezembro de 2010, 11h10

São Paulo – Se em 2009 o Ibovespa subiu mais de 80%, o investidor não deve terminar 2010 com o mesmo êxito. Até agora, o principal índice da Bolsa sequer repôs a inflação: de janeiro a novembro, a queda foi de 1,29%, contra uma escalada de preços de 5,25% pelo IPCA. Enquanto analistas já traçam estratégias para ganhar dinheiro em 2011, as empresas que pagam bons dividendos surgem como uma alternativa viável para os que pretendem engordar o cofre na renda variável não ficarem tão dependentes de uma oscilação positiva da cotação dos papéis.

Um estudo do HSBC mostra que a maioria das empresas que devem pagar bons dividendos são do setor elétrico. Sem mercadoria física ou estoque, essas companhias cobram à vista o que entregam ao longo do mês. Como a infraestrutura já montada para a distribuição do serviço tampouco demanda grandes injeções financeiras, a necessidade de reinvestir não se equipara à de empresas que dependem de constante aperfeiçoamento tecnológico. “As margens operacionais são fortes e praticamente toda a geração de caixa vai resultar na repartição dos lucros”, explica Carlos Nunes, estrategista do HSBC.

As apostas do banco para 2011 refletem esse pensamento. A partir do acompanhamento de 155 empresas listadas na Bolsa, o HSBC destacou nove companhias com maior expectativa de "dividend yield" para o ano que vem. Esse indicador mede o quanto o investidor deve embolsar com a distribuição dos proventos ainda que o papel não registre nenhuma valorização na bolsa, levando em conta apenas o retorno esperado com o pagamento de dividendos em relação ao preço de cada ação. Ou seja, se uma empresa tem um "dividend yield" de 10% e o preço da ação é de 30 reais, o acionista deverá receber 3 reais em um ano apenas como dividendos e juros sobre o capital próprio
 


No ranking das maiores pagadoras de dividendos, a campeã é a Eletropaulo, com "yield" estimado em 18%. Para se ter uma ideia, apenas 14 blue chips da carteira do Ibovespa apresentaram rendimento maior do que esse até novembro deste ano, com um risco reconhecidamente superior ao do investimento em boas distribuidoras de lucro. Por sua vez, a média de rentabilidade entregue pelos títulos públicos ficou em 12,42%.

Confira os maiores "yields" estimados pelo HSBC para 2011:

table.tableizer-table {border: 1px solid #CCC; font-family: Arial, Helvetica, sans-serif; font-size: 12px;} .tableizer-table td {padding: 4px; margin: 3px; border: 1px solid #ccc;}
.tableizer-table th {background-color: #104E8B; color: #FFF; font-weight: bold;}

Empresa Ação Setor Yield estimado para 2011
Eletropaulo ELPL6 Energia Elétrica 18%
Telemar TNLP4 Telefonia 14,9%
Coelce COCE5 Energia Elétrica 13,1%
Redecard RDCD3 Serviços Financeiros 9,8%
Transmissão Paulista TRPL4 Energia Elétrica 9,1%
AES Tietê GETI4 Energia Elétrica 9,1%
Equatorial Energia EQTL3 Energia Elétrica 9,1%
Comgás CGAS5 Gás 8%
Telesp TLPP4 Telefonia 7,7%

Estratégia defensiva

Normalmente, uma distribuição generosa de dividendos indica que a companhia pisou no freio do crescimento, mas apresenta uma capacidade sustentável de gerar renda. Por isso, quem apostar nessas empresas não deve ver uma explosão meteórica no preço das ações.

“É uma questão de escolha: esses papéis são menos suscetíveis à desvalorização, mas em um momento de rally de alta, são os que menos vão se beneficiar”, pondera Carlos Nunes, do HSBC. Na prática, o acionista troca a expectativa de crescimento por um retorno mais seguro.


É justamente por isso que a escolha de companhias que pagam dividendos polpudos costuma ser indicada para os que não têm tempo - ou estômago - para aguardar os papéis subirem em um ambiente tão afeito à oscilações como a Bolsa.
 
"Essa é a melhor porta de entrada para quem quer começar no mercado de ações. O investidor não deixa de ganhar quando a bolsa sobe, mas se protege muito quando a bolsa cai", diz Wagner Salaverry, sócio-diretor do banco de investimentos Geração Futuro.

Com o intuito de atrair os investidores mais conservadores, o banco lançou um fundo com empresas que pagam bons dividendos em junho deste ano. Até agora, a valorização bate em 23,5%. "O Ibovespa é muito pesado em empresas de commodities e do setor financeiro. A aposta em setores de concessões, saneamento e energia vão na linha contrária, já que nesses casos o consumo é mais resistente às crises", afirma Salaverry.

De qualquer forma, vale lembrar que "dividend yields" significativos não traçam por si só perspectivas otimistas para o investidor. Às vezes, uma relação muito alta denota apenas uma desvalorização desses papéis. A ação da Redecard - cujo retorno em dividendos estimado para 2011 beira os 10% - já caiu mais de 14% neste ano.