SoftBank demite cerca de 150 funcionários após resultados negativos recordes

Os cortes ocorrem após um primeiro semestre muito negativo, com prejuízos recordes registrados pelo banco
Masayoshi Son, CEO do Softbank (Kim Kyung-Hoon/File Photo/Reuters)
Masayoshi Son, CEO do Softbank (Kim Kyung-Hoon/File Photo/Reuters)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 29/09/2022 às 12:19.

O SoftBank demitiu nesta quinta-feira, 29, cerca de 150 funcionários em suas operações globais.

Os cortes do banco de investimento japonês foram realizados principalmente no Vision Fund e no SoftBank Group International, onde foram cortados cerca de 30% dos funcionários, e ocorrem após resultados negativos recordes dos últimos meses.

No segundo trimestre do ano, o banco de investimento japonês registrou um prejuízo de US$ 23 bilhões. Um dos piores resultados da história do SoftBank. No mesmo período do ano passado, o banco tinha registrado um lucro de US$ 5,6 bilhões.

Nos primeiros seis meses de 2022, o prejuízo recorde chegou a US$ 50 bilhões, por causa da alta global dos juros e da instabilidade política mundial que afetou as avaliações das ações de tecnologia, que pegou os executivos do banco de surpresa.

Saiba mais:

Além da queda global das ações de tecnologia, durante o trimestre de abril a junho o SoftBank sofreu uma perda cambial de US$ 6,1 bilhões, provocada pela forte queda do iene em relação ao dólar americano. O câmbio da moeda japonesa chegou em sua mínima dos últimos 22 anos.

CEO do SoftBank anunciou os cortes

Em resposta, o CEO do Softbank, Masayoshi Son, declarou que vai realizar uma série de cortes para tentar conter os custos do banco.

As demissões afetarão os funcionários das equipes de investimento e de back-office em departamentos como financeiro e jurídico, principalmente no Estados-Unidos, Reino-Unido e China.

Além disso, para tentar fazer frente a essa situação, o SoftBank vendeu sua participação no principal ativo Alibaba (BABA34) e também zerou sua posição no Uber (U1BE34), além de delinear planos para listar a fabricante de microprocessadores Arm.

Son declarou na semana passada que está trabalhando para criar uma "aliança estratégica" entre o SoftBank e a Samsung para tentar alcançar novas sinergias.