Nova proposta Aliansce-brMalls, produção da Vale e o que move o mercado

Preocupações com aperto monetário nos EUA seguem no radar, após membro do Fed sinalizar juro de 3,5% para o fim do ano
Shopping da brMalls (Divulgação/Divulgação)
Shopping da brMalls (Divulgação/Divulgação)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 19/04/2022 às 07:04.

Última atualização em 19/04/2022 às 07:19.

As bolsas da Europa abriram em firme queda nesta terça-feira, 19, volta dos negócios no continente, após o feriado de Páscoa. Níveis da inflação e do aperto monetário nos Estados Unidos seguem como os principais preocupações do mercado nesta semana, que será marcada pelo índice de preço ao consumidor europeu (IPC) e falas do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell.

Já no fim da última tarde, James Bullard, membro do Fed conhecido por seu viés contracionista (hawkish), sinalizou que gostaria de ver os juros, hoje no intervalo de 0,25% e 0,50%, a 3,5% no fim do ano. Bullard, por sinal, foi o único a votar na última reunião para uma alta de juro de 50 pontos base, enquanto a maioria optou por uma primeira elevação de 25 pontos base.

Preços commodities dão pressão adicional aos temores sobre a inflação. O petróleo, que chegou a cair para baixo de US$ 100 na semana passada, é negociado acima de US$ 110 nesta manhã. O minério de ferro fechou em alta nesta madrugada, na China, com esperanças de novos estímulos na economia local.

O movimento impulsionou ações de mineradoras na Austrália e deve beneficiar as ações da Vale neste pregão. As ADRs da companhia apresentam leve alta no pré-mercado americano.

Mas as atenções de acionistas da Vale estarão com o relatório de produção do primeiro trimestre da companhia, que será divulgado nesta noite. O resultado da companhia está previsto para quarta-feira da próxima semana, 27.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

  • Veja a seguir o desempenho dos indicadores às 7h (de Brasília):

    • Hang Seng (Hong Kong): -2,28%
    • SSE Composite (Xangai): -0,05%
    • Nikkei (Tóquio): +0,69%
    • FTSE 100 (Londres): -0,52%
    • DAX (Frankfurt): -1,06%
    • CAC 40 (Paris): -1,20%
    • S&P futuro (Nova York): -0,02%
    • Nasdaq futuro (Nova York): -0,14%
    • Petróleo Brent (Londres): -1,31% (para US$ 111,68)

Aliansce-brMalls

A Aliansce anunciou ter aumentado a oferta pela combinação de negócios com a brMalls, que pode formar a maior empresa de shoppings do país. Esta é a terceira vez que a Aliansce apresenta uma proposta à sua concorrente.

Os novos termos contemplam maior fatia da nova empresa por ação da brMalls, com a relação passando de 0,334 ação da Aliansce para 0,394 por ação da brMalls. Por outro lado, o pagamento em dinheiro proposto foi reduzido de R$ 1,850 bilhão para R$ 1,25 bilhão.

Prévia da brMalls

Enquanto avaliam a nova proposta de fusão, acionistas da brMalls devem repercutir a prévia operacional do primeiro trimestre da companhia, apresentada na última noite. As vendas totais dos shoppings da companhia superaram o patamar pré-pandemia de 2019 pelo segundo trimestre consecutivo, com crescimento de 59% em relação ao mesmo período do ano passado. A taxa de ocupação foi de 97,6%.

Prévia da Gafisa

Ainda no setor de real state, a incorporadora Gafisa apresentou R$ 233,5 milhões em vendas no primeiro trimestre, representando 81% de crescimento na comparação anual e 19% frente ao trimestre anterior. Os lançamentos ficaram em R$ 54,9 milhões. A empresa espera lançar mais 3 empreendimentos até o fim do ano, com VGV (valor geral de vendas) estimado em R$ 382 milhões.

Dividendo da Ferbasa

A Companhia de Ferro Ligas da Bahia, a Ferbasa, anunciou o pagamento de R$ 130 milhões em dividendos, representando cerca de R$ 1,43 por ação ordinária e R$ 1,57 por preferencial. A empresa, com cerca de R$ 4 bilhões de valor de mercado, é uma das grandes apostas da gestora Trígono.