Acompanhe:

Méliuz (CASH3) estuda separação e IPO da Bankly

Companhia diz que operações podem ter mais foco em cada modelo de negócios e trazerem mais valor aos acionistas

Méliuz: companhia vai estudar separação da Bankly e posterior listagem (B3/Divulgação)

Méliuz: companhia vai estudar separação da Bankly e posterior listagem (B3/Divulgação)

R
Raquel Brandão

24 de outubro de 2022, 18h53

O conselho da empresa de cashback Méliuz (CASH3) deu o aval para a companhia estudar a segregação de suas operações de soluções de pagamento e "banking as a service", que opera utilizando a marca Bankly. Além da separação do negócio, a Bankly poderia ser listada na bolsa, como uma companhia independente.

"O propósito da potencial transação é liberar o pleno potencial dos negócios de soluções de pagamento e banking", diz a empresa, Assim, cada companhia poderia manter seu foco nos respectivos modelos de negócios e oportunidades
de mercado.

LEIA MAIS

A segregação também permite que cada um dos negócios tenha acesso direto ao mercado de capitais e a outras fontes de financiamento, o que ajudaria, segundo a empresa, a priorizar necessidades de investimento e maximizar flexibilidade para transações estratégicas de acordo com o perfil de cada companhia, "criando, assim, mais valor para seus respectivos acionistas."

Como assessores financeiro e jurídico, a empresa contratatou o banco de investimento Lazard e o Pinheiro Neto Advogados. A decisão, porém, só deve ser tomada após estudos e com aprovação de acionistas, credores e órgãos regulatórios.