Crise no Reino Unido: Libra atinge mínima recorde contra o dólar

Preocupações fiscais derrubam moeda britânica, após anúncio de cortes de impostos para estimula crescimento
Libra esterlina (Benoit Tessier/Reuters)
Libra esterlina (Benoit Tessier/Reuters)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 26/09/2022 às 08:49.

Última atualização em 26/09/2022 às 09:02.

A libra esterlina bateu mínima histórica frente ao dólar nesta segunda-feira, 26, ao ser negociada abaixo de US$ 1,04. A desvalorização foi motivada pelos temores sobre as consequências de novas poíticas expansionistas no Reino Unido para contrapor à recessão que se aproxima da Europa. A "meta ambiciosa", segundo o governo britânico,  é crescer 2,5%.

O plano envolve cortes de impostos agressivos, com redução das alíquotas de impostos de renda, cancelamento do aumento de impostos corporativos e incentivos imobiliários.

"O crescimento econômico não é um termo acadêmico sem conexão com o mundo real. Significa mais empregos, salários mais altos e mais dinheiro para financiar serviços públicos", disse o novo ministro da economia do Reino Unido, Kwasi Kwarteng, no anúncio do plano. 

Os impactos fiscais para os próximos anos são estimados em mais de £ 160 bilhões e ainda inlcuem um empréstimo adicional de £ 72 bilhões.

Ainda que com implicações políticas positivas para o atual governo de Liz Truss, os planos expansionistas do Reino Unido caíram como uma bomba no mercado.

Isso porque além dos impactos fiscais do pacote de benefícios, há preocupações sobre seus efeitos na inflação, que encerrou agosto em 9,9% no Reino Unido, próxima do maior patamar em 40 anos.

Em desalinho com BoE

As medidas também vão na contramão do banco central britânico, o Bank of England, que tem subido suas taxas de juros para reduzir a atividade econômica e, consequentemente, a inflação. Na semana passada, o BoE elevou sua taxa para 2,25% em sua segunda alta de 0,5 ponto percentual. Mas, dada as políticas do governo, investidores esperam por um aperto monetário ainda mais duro nas próximas reuniões.

"Os mercados estão apostando que o ritmo das altas terá que acelerar. O recente salto nos rendimentos [dos títulos britânicos] implica que a taxa bancária atingirá um pico no próximo ano bem acima de 5%", disseram economistas do ING em relatório. 

"A menos que algo possa ser feito para resolver essas preocupações fiscais ou a economia mostre alguns dados de crescimento surpreendentemente fortes, parece que os investidores continuarão evitando a libra esterlina", afirmou o ING. 

A desvalorização da libra é de mais de 20% frente ao dólar no ano, superior à do euro, que acumula 15% de queda contra o dólar.

Leia mais: