Ibovespa hoje: bolsa encerra sequência de ganhos pressionada por Petrobras

Índice acompanha mercado internacional, que avança após reforço da tese de que inflação já passou do pico
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
G
Guilherme Guilherme e Beatriz Quesada

Publicado em 11/08/2022 às 10:36.

Última atualização em 11/08/2022 às 17:41.

O Ibovespa virou para queda e encerrou esta quinta-feira, 11, em queda, pressionado pela queda das ações da Petrobras (PETR3/PETR4), que é a segunda empresa com maior participação na carteira teórica do índice. 

 Os papéis caíram após a companhia anunciar a redução no preço do diesel em R$ 0,22 – a 2ª em um mês. 

  • Petrobras (PETR4): - 2,32%
  • Petrobras (PETR3): - 1,89%

A queda reverteu o cenário positivo desenhado mais cedo, com o Ibovespa acompanhando o bom humor no mercado internacional após a divulgação de dados de inflação. 

Os investidores repercutiram o Índice de Preços ao Produtor americano (PPI, na sigla em inglês) de julho, que caiu de 11,3% para 9,8% no acumulado de 12 meses. O consenso era de queda para 10,4%.

O dado, que vai de encontro com a queda do Índice de Preço ao Consumidor (CPI) divulgado na véspera, alimenta as esperanças de que pior da inflação americana – e do ciclo de alta dos juros – já ficou para trás.

"A grande esperança é a de que a inflação comece a cair. O PPI foi um dado muito bom para o mercado, na sequência do CPI de ontem. Isso ajuda a colocar mais força no rali [de ações] que vimos ontem", disse Paulo Gala, economista-chefe do Banco Master, em morning call. 

"Com o CPI de ontem e o PPI de hoje, o caminho está sacramentado para o Fed subir os juros em 0,50 ponto percentual em setembro."

Ao longo do pregão, no entanto, o movimento de alta perdeu força no exterior, influenciando também a virada da bolsa brasileira.

  • Dow Jones (Nova York): + 0,08%
  • S&P 500 (Nova York): - 0,07%
  • Nasdaq (Nova York): - 0,58%

Ações em destaque

No mercado local, a alta dos papéis da Vale (VALE3), que são as ações de maior peso na carteira teórica do índice, segurou a queda da bolsa. A mineradora avançou, junto com as siderúrgicas, acompanhando a alta do minério de ferro no mercado internacional.

O dia também foi positivo para o setor bancário, que representa quase 10% do Ibovespa. Os ganhos foram puxados pelas ações do Banco do Brasil (BBAS3) que saltaram mais de 4%. 

O BB, que foi o último entre os grandes bancos a apresentar resultado, teve lucro líquido de R$ 7,8 bilhões, 55% a mais do que no segundo trimestre de 2021.

O dia foi também de reação à série de balanços divulgados entre a noite de ontem e esta manhã – e expectativa pelos que vão vir.

As ações da Minerva (BEEF3) saltaram mais de 7%, após o lucro da empresa ter disparado 264% no segundo trimestre para R$ 424,7 milhões. A receita da companhia cresceu 34,7% na comparação anual para R$ 8,5 bilhões. 

A reação foi exatamente oposta à sobre as ações da BRF (BRFS3). A companhia dona das marcas Sadia e Perdigão desaba mais de 12%, após ter aumentado seu prejuízo líquido em 94,9% para R$ 468 milhões. 

Entre as maiores quedas, estiveram ainda as ações de MRV (MRVE3) e Petz (PETZ3), que também divulgaram balanço na última noite. O lucro líquido do grupo MRV caiu 18,3% no segundo trimestre, e atingiu R$ 58 milhões. Já a Petz registrou aumento no lucro, mas teve perdas na margem operacional.

Veja também