Por melhor eficiência, Gol propõe incorporar ações da Smiles

Acionistas poderão escolher trocar ações por papéis da GOL ou por quantia em dinheiro, caso proposta seja aprovada
GOL: companhia aérea propõe incorporar ações de sua subsidiária (Germano Lüders/Exame)
GOL: companhia aérea propõe incorporar ações de sua subsidiária (Germano Lüders/Exame)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 07/12/2020 às 09:08.

Última atualização em 07/12/2020 às 09:28.

Uma das principais companhias aéreas do país, a GOL anunciou nesta segunda-feira, 7, mais uma proposta para incorporar as ações da Smiles, responsável pelo programa de fidelidade da empresa.

Nos termos apresentados, os acionistas da Smiles poderão trocar cada ação ordinária (SMLS3) por 0,825 ação preferencial da GOL (GOLL4) ou receber 22,32 reais em dinheiro por cada ação da Smiles. Os acionistas da Smiles também poderão escolher um formato misto, desde que a quantia em dinheiro ou em as ações preferenciais não supere 80%.

Ainda é hora de investir em companhias aéreas? Descubra e saiba gerir melhor seu portfólio com o BTG Pactual Digital

O valor de 22,32 reais por ação representa um prêmio de 2,72% em relação ao último preço de fechamento das ações da Smiles. Segundo a GOL, porém, o prêmio é de 26,3% em relação à média dos últimos 30 dias.

Em fato relevante, a GOL informou que seus planos de incorporação visam alinhar o interesse dos acionistas, “assegurando a continuidade da companhia aérea e do programa de fidelidade, simplificando a governança corporativa, reforçando a estrutura de capital, reduzindo custos operacionais, administrativos e financeiros e eliminando ineficiências fiscais”.

As intenções da GOL de incorporar os papéis da Smiles não é nova. Ainda no fim do passado a empresa havia anunciado plano semelhante, mas acabou sendo cancelado em março, quando os impactos do coronavírus derrubaram o preço dos papéis da companhia aérea e inviabilizaram a operação.

Desta vez, a GOL utiliza a pandemia para justificar a necessidade de as ações da Smiles serem incorporadas. Segundo a empresa, o coronavírus provocou uma “mudança na dinâmica competitiva” do mercado de transporte aéreo e no de programa de fidelidade, tornando “necessário o término desta estrutura e o alinhamento permanente dos seus interesses, a fim de garantir competitividade no longo prazo”.

A proposta ainda precisa ser submetida à aprovação de acionistas da GOL e da Smiles. A decisão será feita em assembleias de acionistas, que, de acordo com o fato relevante, devem ser convocadas até o dia 18 de janeiro. As negociações em torno da proposta devem ser concluídas em até 30 dias.