ByteDance, dona do TikTok, vai recomprar US$ 3 bi em ações após paralisia do IPO

A empresa chinesa vai oferecer cerca de US$ 177 por ação, um preço que avalia a ByteDance em US$ 300 bilhões
ByteDance, dona do TikTok (Anadolu Agency / Colaborador/Getty Images)
ByteDance, dona do TikTok (Anadolu Agency / Colaborador/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 16/09/2022 às 11:55.

A ByteDance, dona do TikTok, anunciou nesta sexta-feira, 16, que vai realizar uma recompra de ações por um valor de US$ 3 bilhões.

A empresa chinesa vai oferecer cerca de US$ 177 por ação, um preço que avalia a ByteDance em US$ 300 bilhões.

Entre os investidores da startup chinesa estão a Sequoia Capital e Susquehanna International Group.

Além da recompra de ações, a ByteDance está estendendo seu plano de incentivo de ações existente por mais 10 anos.

A avaliação da ByteDance tinha chegado a US$ 400 bilhões em negociações privadas, mas acabou caindo para US$ 300 bilhões em julho.

Para tentar reter seus talentos, em agosto a empresa informou seus 110 mil funcionários que reduzirá o preço de suas stock options em 20%, como compensação.

TikTok foi a chave do sucesso (e dos problemas) da ByteDance

A rede social TikTok fez da ByteDance uma das startups mais valiosas do mundo, mas também se tornou o centro dos problemas para a empresa.

Isso pois o governo dos Estados Unidos acusou o aplicativo de ser utilizado para espionar dados dos cidadãos americanos, chegando a considerá-lo uma potencial ameaça para a segurança nacional.

Nesta semana, a diretora de operações do TikTok nos EUA, Vanessa Pappas, foi pressionada para não enviar os dados de usuários americanos até a sede central da ByteDance, na China, durante as audiências no Senado de Washington.

Para tentar resistir as pressões por parte do governo americano, a ByteDance gastou o valor recorde de mais de US$ 2 milhões em atividades de lobby no trimestre passado.

O TikTok já foi banido também na Índia, após um confronto na fronteira com a China ocorrido em 2020 entre militares dos dois países. Com isso, o TikTok perdeu seu maior mercado mundial, com 200 milhões de usuários regulares.

IPO da ByteDance postergado

Há anos, a ByteDance está planejando abrir seu capital (IPO, na sigla em inglês). Uma operação que poderia também aliviar a pressão política sobre a empresa à medida que a controladora chinesa reduza sua participação no capital.

Entretanto, a abertura de capital foi adiada indefinidamente após o governo de Pequim intensificar o cerco sobre as gigantes do setor de tecnologia. Essa repressão acabou reduzindo drasticamente o valor de empresas de capital aberto, como a Alibaba (BABA34). No total, mais de US$ 1 trilhão em valor de mercado foi "queimado" após as quedas das Bolsas de Valores de Hong Kong e Xangai, onde as empresas são listadas.

A própria Alibaba, assim como a Tencent, também estão recomprando suas ações, para tentar manter o valor de mercado elevado. Isso em um momento onde investidores globais como Warren Buffett e SoftBank estão desinvestindo de ações de tecnologia chinesas.

As políticas restritivas da China levaram a ByteDance a encerrar a maioria de suas operações de educação online e desmantelar seu braço de investimento no ano passado.

A diretoria da ByteDance informou no mês passado que a empresa não tem plano ou cronograma para uma estreia no mercado de ações. Os executivos também disseram que a empresa precisa crescer com cautela e concentrar recursos nos principais mecanismos de crescimento, incluindo TikTok, comércio eletrônico e o aplicativo de trabalho Lark.