IPO da Porshe pode ser o maior da Europa em uma década

Os mercados europeus estiveram em grande parte fechados para IPOs durante a maior parte do ano
Porshe: Em meio à baixa das bolsas, o plano de listagem é impulsionado pelos compromissos firmes dos principais investidores (Porshe/divulgação/Divulgação)
Porshe: Em meio à baixa das bolsas, o plano de listagem é impulsionado pelos compromissos firmes dos principais investidores (Porshe/divulgação/Divulgação)
B
BloombergPublicado em 19/09/2022 às 15:28.

Volkswagen planeja levantar até 9,4 bilhões de euros (US$ 9,4 bilhões) com a oferta pública inicial de sua icônica fabricante de carros esportivos Porsche, no que pode marcar o maior IPO da Europa em mais de uma década.

Em um momento de forte volatilidade do mercado, a montadora alemã disse no domingo que mira uma valoração de 70 bilhões a 75 bilhões de euros para a abertura de capital, abaixo da meta anterior de até 85 bilhões de euros.

Os mercados europeus estiveram em grande parte fechados para IPOs durante a maior parte do ano. Empresas têm evitado realizar novas ofertas em meio à crise de energia da região, aumento das taxas de juros e inflação recorde.

A Porsche não está sozinha ao reduzir as metas de valuation: a Intel também cortou as projeções para o IPO da Mobileye.

Em meio à baixa das bolsas, o plano de listagem é impulsionado pelos compromissos firmes dos principais investidores. A Qatar Investment Authority, o fundo soberano da Noruega, T. Rowe Price e ADQ devem subscrever ações preferenciais de até 3,7 bilhões de euros, disse a fabricante.

“Estamos agora na reta final com os planos de IPO da Porsche e agradecemos o compromisso de nossos investidores fundamentais”, disse o diretor financeiro da Volks, Arno Antlitz. O período da oferta começa nesta terça, 20 de setembro, com o início da negociação planejada para 29 de setembro.

Durante reuniões com potenciais investidores, a Volkswagen apresentou o IPO como uma chance de investir em uma empresa que combina o melhor de montadoras rivais como Ferrari e marcas de luxo como Louis Vuitton. Embora Ferrari e Porsche tenham como alvo clientes ricos, a fabricante italiana permanece em uma liga própria ao ostentar margens líderes no setor e com uma fração das 300 mil unidades vendidas por ano pela Porsche.

No ponto médio do valuation das ações preferenciais, o IPO avaliaria a Porsche em 10,2 vezes o Ebitda, de acordo com a Jefferies. Isso se compara ao múltiplo de Ebitda da Ferrari de 23,1 vezes. Ainda assim, o valuation superior da Porsche quase se iguala ao valor total de mercado da Volks – incluindo Audi, Skoda, a marca Volks e Seat, entre outros – de 88 bilhões de euros.

A Porsche tem como meta receita de até 39 bilhões de euros este ano e retorno sobre as vendas de até 18%, dois pontos acima do ano passado, disse a empresa em julho. Os retornos devem superar 20% no longo prazo.

Além de oferecer a investidores uma fatia de um dos nomes mais conhecidos da indústria automobilística, o IPO devolverá um poder significativo na tomada de decisão à família Porsche-Piech, que perdeu o controle da montadora de carros esportivos há mais de uma década após uma longa batalha de aquisição com a Volks. Para atender aos interesses da família bilionária, que detém 53% das ações com direito a voto da Volks por meio da Porsche Automobil Holding, listada separadamente, o IPO da Porsche é complexo e gerou questões de governança também refletidas na estrutura complicada da Volks.

Ainda assim, um IPO desse porte é tão raro na Europa que pode desafiar o desaquecimento do mercado. Com isso, gestores serão obrigados a analisar a oferta com atenção, já que a empresa entrará automaticamente nos principais benchmarks de ações da região, disseram pessoas presentes às reuniões realizadas para aumentar o interesse no IPO.