Braskem (BRKM5) capta US$ 100 mi com meta sustentável de vender mais plástico verde

Diretora da Braskem disse em entrevista à Exame Invest que operação está alinhada com objetivo de aumentar produção de polietileno de cana-de-açúcar para 1 milhão de toneladas até 2030
Braskem: meta é conseguir produzir até 1 milhão de toneladas de plástico verde até 2030 (Matteo de Stefano/Getty Images)
Braskem: meta é conseguir produzir até 1 milhão de toneladas de plástico verde até 2030 (Matteo de Stefano/Getty Images)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Publicado em 26/07/2022 às 16:20.

Última atualização em 26/07/2022 às 17:02.

A Braskem (BRKM5) levantou US$ 100 milhões em seu primeiro empréstimo com metas de sustentabilidade, anunciado nesta terça-feira, 26. A operação foi feita com o banco japonês Sumitomo Mitsui e associada à venda de plástico verde, que é o polietileno feito a partir da cana-de-açúcar.

O vencimento do empréstimo está previsto para junho de 2027. Quanto mais plástico verde a Braskem vender durante esse período, menor será a taxa de juros cobrada.

Os valores exatos não foram divulgados ao mercado. Mas, para além dos custos envolvidos, Rosana Avolio, diretora de Relações com Investidores da Braskem, ressaltou a importância da operação para o posicionamento da companhia, em entrevista à Exame Invest.

"Claro que todo mundo quer custos competitivos e sempre vamos buscar isso. Mas assumimos esse compromisso porque acreditamos em seu impacto na sociedade - e a operação financeira é uma derivada disso. Acreditamos muito na nossa expansão de polietileno verde", afirmou Avolio.

A Braskem tem como meta alcançar a capacidade de produção de 1 milhão de toneladas de plástico verde até 2030 e se tornar carbono neutra até 2050.

A expectativa da empresa é expandir a capacidade de produção de plástico verde de 200.000 toneladas para 260.000 até o fim deste ano. Cada tonelada de polietilieno verde produzido captura 2,5 toneladas de CO2 da atmosfera, enquanto o plástico feito com derivados do petróleo emite 2,1 toneladas de CO2.

"Queremos extrair o maior valor de nossos compromissos ESG, seja reputacional ou financeiro", disse Avolio.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia.

Vendas de plástico verde crescem no 2º trimestre

A Braskem encerrou o primeiro semestre com cerca de 87.000 toneladas de plástico verde vendidas, mais da metade de todo o montante de 2021, de 164.980 toneladas. O crescimento no segundo trimestre foi de 12% em relação ao anterior e de 14% frente ao mesmo período do ano passado.

O aumento do volume de vendas tem sido beneficiado pela normalização da logística para exportação. No ano passado, restrições na cadeia de suprimentos pressionaram as vendas de plástico verde, que caíram 2% comparado às de 2020.  Do volume total vendido em 2021, 45% à Europa e 39% à Ásia.

Apesar dos desafios macroeconômicos de seu principal mercado consumidor, a Braskem não vê grandes efeitos sobre a demanda por plástico verde no mundo. "É um produto diferenciado dos demais, devido à questão ambiental. Então, entendemos que outros países vão demandar mais, como Brasil e Japão", comentou Avolio.