10 vantagens de investir em fundos imobiliários

Os fundos imobiliários são ativos que apresentam diversas vantagens, embora ainda sejam pouco explorados por boa parte dos brasileiros como ativos de investimento.
 (Getty/Getty Images)
(Getty/Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 08/06/2022 16:47 | Última atualização em 08/06/2022 16:47Tempo de Leitura: 6 min de leitura

Desde 1993, quando fundos imobiliários foram regulamentados no Brasil, mais setores foram incluídos no mercado de FIIs. Mas, apesar dos 29 anos de história, muitos investidores ainda não conhecem as principais vantagens dos fundos imobiliários e assim como todo tipo de investimento, os FIIs também apresentam seus prós e contras em cada um dos tipos de fundos. Afinal, quais são as vantagens e desvantagens dos fundos imobiliários em seus diferentes segmentos?

O que são fundos imobiliários?

Os fundos imobiliários são ativos que apresentam diversas vantagens, embora ainda sejam pouco explorados por boa parte dos brasileiros como ativos de investimento. Com o crescimento desse mercado, diversas novas possibilidades surgiram. Eles representam uma alternativa mais simples de investir em imóveis e outros ativos do segmento imobiliário. São diversas vantagens dos FIIs em relação à compra de imóvel físico.

Quais são as vantagens e desvantagens dos fundos imobiliários?

As vantagens e desvantagens dos FIIs variam conforme o tipo de fundo imobiliário que está sendo adquirido, então é importante observar cada um dos pontos positivos e negativos dos fundos de papel, tijolo e híbrido.

O desempenho de cada um desses fundos depende de uma série de fatores, o que inclui as taxas de juros do país, cenário de inflação, situação político-econômica do país e a capacidade da gestão do FII em realizar bons investimentos.

Fundos de papel

No caso dos FIIs de papel, por exemplo, eles se beneficiam em um cenário de juros altos e contração da economia brasileira. Porém, o investidor pode ficar um tanto quanto limitado na hora investir nesses fundos imobiliários, uma vez que eles possuem uma alta rotatividade. Sendo assim, é um tipo de fundo em que o sucesso depende mais da capacidade profissional do gestor.

Uma das principais vantagens dos fundos imobiliários de papel em relação aos FIIs de tijolo é a sua liquidez, que se mostra bastante favorável nessa comparação. Outra vantagem é a diversificação que esses fundos proporcionam.

Em um fundo de papel o gestor tem maior liberdade para investir em diferentes ativos e setores, o que pode ser uma vantagem importante dos FIIs de papel em termos de diversificação nos investimentos.

Fundos de tijolo

uma das principais vantagens dos fundos de tijolo é sua capacidade de aumentar seus rendimentos com o passar do tempo. Isso acontece porque os imóveis físicos podem se valorizar no médio/longo prazo, principalmente com ativos de alta qualidade e bem localizados.

Ao contrário dos FIIs de papel, os fundos de tijolo se beneficiam em um cenário de juros baixos e de economia em crescimento, o que pode ser tanto uma vantagem quanto uma desvantagem, dependendo do cenário em que se encontra.

Uma das desvantagens dos FIIs de tijolo é que eles possuem uma gestão passiva, sendo assim, não negociam imóveis de forma direta, o que pode requerer uma maior atenção do investidor sobre a performance do fundo.

Fundos híbridos

Os FIIs híbridos proporcionam uma mesclagem entre os fundos de papel e tijolo na hora de investir. Por conta disso, dentre as principais vantagens dos fundos híbridos está o fato deles possibilitarem maior liberdade ao gestor para diversificar os investimentos do fundo.

Além disso, eles conseguem se adaptar em diferentes cenários econômicos, já que os FIIs de papel e tijolo são mais favoráveis em realidades distintas de juros e crescimento econômico. Como os fundos de investimento híbridos adotam ambas as estratégias de investimento, eles podem alterá-la conforme a necessidade do momento.

Uma das desvantagens dos FIIs híbridos é que eles também dependem mais da capacidade profissional do gestor, uma vez que o que investidor fica mais limitado quando seleciona os fundos imobiliários de sua carteira com base no portfólio dos ativos imobiliários.

De qualquer forma, entender as vantagens e desvantagens dos fundos imobiliários de cada segmento possibilita ao investidor estar mais preparado para construir uma carteira de ativos diversificada e consistente nos ganhos.

10 vantagens dos fundos imobiliários

Os imóveis de tijolo se tornaram um dos investimentos mais seguros do mercado financeiro. No entanto, comprar um imóvel físico requer um grande volume de dinheiro, o que não corresponde com a realidade de muitos brasileiros. Mas através dos fundos imobiliários é possível investir no setor com pouco dinheiro.

Entender quais são as vantagens dos fundos imobiliários pode fazer com que os investidores tenham a possibilidade de viver de renda passiva com rendimentos isentos de imposto de renda e ainda serem donos de pequenas fatias de shoppings, prédios comerciais, galpões logísticos e muitos outros tipos de imóveis.

Sendo assim, as 10 principais vantagens dos fundos imobiliários são:

  1. Investir em imóveis com pouco dinheiro: é possível começar a investir em FIIs com até R$ 100, enquanto a compra de um imóvel requer valores na casa de dezenas ou centenas de milhares de reais.
  2. Diversificação nos investimentos: com poucos recursos é possível montar uma carteira de fundos imobiliários exposta em diferentes setores, o que diminui os riscos do investimento.
  3. Rendimentos mensais: muitos FIIs pagam rendimentos aos seus cotistas mensalmente, embora não seja uma garantia de que eles serão pagos todos os mês.
  4. Rendimentos isentos de imposto de renda: embora o lucro das cotas tenha um pagamento de 20% em imposto de renda, os proventos distribuídos pelos FIIs são totalmente isentos.
  5. Liquidez: enquanto os imóveis podem demorar meses ou anos sem para serem vendidos, os fundos imobiliários são facilmente negociados através da bolsa de valores brasileira (B3).
  6. Menor risco de vacância: um imóvel pode ficar muito tempo sem ser alugado e gerando despesas. Quando se escolhe FIIs com uma carteira de vários imóveis, a perda de um inquilino não traz um corte total no recebimento de aluguéis, sendo este apenas reduzido.
  7. Gestão profissional: muitos investidores não têm o conhecimento adequado para escolher bons imóveis para investir. Nos FIIs uma gestão profissional irá selecionar ativos de qualidade e com potencial de gerar receita e valorização no médio/longo prazo.
  8. Economizar tempo e dinheiro: o investidor de fundos imobiliários não vai precisar arcar com custos e o tempo necessário para lidar com reformas, pagamento de IPTU e outros gastos inerentes aos imóveis.
  9. Taxas: as taxas de administração nos FIIs são menores que as cobradas na negociação de imóveis físicos.
  10. Distribuição de pelo menos 95% dos lucros: A lei 8.688/93 da regulamentação de fundos imobiliários estabelece que eles têm a obrigação de distribuir aos cotistas um valor de 95% dos lucros auferidos em caixa por semestre.

                  Confira também em nosso Guia de Investimentos com qual valor é possível começar a investir em fundos imobiliários.