O que são fundos de tijolo? Veja 6 exemplos

Quando se começa a investir no mercado de renda variável, há uma série de termos próprios que são citados em cada tipo de investimento.
 (Deagreez/Getty Images)
(Deagreez/Getty Images)
Por Da RedaçãoPublicado em 23/05/2022 20:35 | Última atualização em 23/05/2022 20:35Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Nos fundos imobiliários, principalmente quando se estuda quais são seus principais tipos, uma dúvida comum dos investidores é o que são fundos de tijolo.

Essa é uma das formas de classificar os FIIs, e traz a tona alguns termos que podem ser difíceis de entender a princípio, mas que são extremamente importantes no dia-a-dia do investidor. Mas afinal, o que são fundos de tijolo?

O que são fundos de tijolo?

Fundos de tijolo são os fundos que compram as propriedades já construídas e prontas, a fim de alugar ou obter valorização desses imóveis no futuro. Sendo assim, são os FIIs que realizam investimentos em ativos reais.

Os fundos imobiliários de tijolo podem parecer uma categoria em que os portfólios dos fundos são bastante parecidos em sua forma de composição. No entanto, quando se analisa pontualmente os FIIs desse tipo, se observa que eles apresentam diversas diferenças em sua tese de investimento.

O termo “tijolo” dos FIIs de tijolo se refere ao seu investimento em imóveis que já estão construídos. Eles podem ter um forte potencial de valorização, além de possibilitar ao investidor, em grande parte dos casos, dividendos pagos mensalmente, já que eles geram receita através do recebimento de aluguéis. 

Para isso, é essencial que o fundo tenha a menor vacância possível, ou seja, um portfólio em que grande parte dos seus imóveis se encontrem ocupados. Esse tipo de FII pode se beneficiar quando encontram bons inquilinos que dificilmente deixam de arcar com os pagamentos de aluguel nas datas estabelecidas.

Como os FIIs de tijolo escolhem seus imóveis para investir?

Diversas questões determinam como o gestor de um fundo imobiliário de tijolo escolhe seus ativos para investir. Uma das principais é a região onde imóvel se localiza. Esse é um dos principais fatores na hora de se analisar um imóvel para investir, já que afeta diretamente o seu preço e o seu potencial de valorização.

Em geral, os investidores procuram por boas localizações, o que inclui melhores bairros e cidades, além da quantidade de serviços que são encontrados naquela região. Isso faz com que imóveis bem localizados tenham maior liquidez, ou seja, sejam mais fáceis de serem vendidos posteriormente após sua valorização, ou alugados com maior facilidade.

Os fundos imobiliários também podem focar na qualidade dos seus imóveis e como eles podem ser utilizados de diferentes formas para pessoas e empresas. Existem diversos tipos de empreendimentos diferentes que podem ser escolhidos para investir, de modo que alguns FIIs concentram-se mais em algum específico ou em um conjunto deles. 

Tipos de fundos de tijolo:

  • Escritórios;
  • Shopping centers;
  • Agências bancárias;
  • Prédios industriais;
  • Galpões logísticos;
  • Hotéis.

Quando se entende de fato o que são fundos de tijolo, é possível perceber porque eles estão entre os mais procurados. Eles oferecem a vantagem de diversificação entre diferentes setores, e assim, o investidor que cogitou comprar um imóvel físico pode usar os mesmos recursos para obter participação em diversos tipos de empreendimentos diferentes.

Qual a diferença entre fundos de papel e de tijolo?

A diferença é que quando falamos de fundos de papel, quer dizer que esses FIIs possuem títulos representando contratos do setor imobiliário, ao contrário dos fundos de tijolo que realizam investimentos em ativos reais, ou seja, detêm imóveis diretamente no seu portfólio.

Esse artigo te ajudou a entender melhor o que são fundos de tijolo? Confira também 5 tipos de fundos imobiliários para investir no nosso Guia de Investimentos!