iFood terá trabalho remoto até junho de 2021 e adota Slack para feedback

A startup criou um processo pioneiro de avaliação de desempenho por meio do aplicativo americano Slack

O iFood anuncia hoje que irá adotar o trabalho remoto até junho de 2021, em razão da quarentena devido ao novo coronavírus, que ainda não tem data para chegar ao fim. Segundo a startup de entregas de refeições e compras, o esquema de trabalho à distância será ajustado com o passar do tempo, assim como o sistema operacional de um smartphone, que recebe atualizações periódicas para corrigir falhas ou melhorar a experiência do cliente.

Para a comunicação de equipes com gestores e também para processos de avaliação de desempenho, o iFood adotou o aplicativo Slack, que conta com funções automatizadas e permite a criação de enquetes e conversas automáticas. Com isso, a primeira etapa do processo de feedback, que envolve um questionário, passou a ser realizada via Slack, o mesmo ambiente de conversa com o time do iFood no dia a dia.

O processo de avaliação de desempenho via Slack é um projeto pioneiro e foi construído pela startup junto com a empresa americana, baseada na Califórnia. A iniciativa foi criada no Slack junto com a empresa de inteligência artificial Wavy, da Movile, grupo que controla o iFood.

A partir dos resultados coletados na pesquisa feita por meio do aplicativo, o iFood faz um processo de calibração, uma espécie de nivelamento dos funcionários da empresa, e só então vem a etapa de feedback para os colaboradores. Durante a quarentena, a companhia mudou e passou a dar mais atenção para a performance das equipes, e não apenas para os indivíduos, devido aos desafios particulares de cada um do home office em longo prazo.

A escolha do aplicativo como principal plataforma digital de comunicação se deu logo no início da quarentena para evitar uma fragmentação da comunicação corporativa por diferentes canais digitais. Com isso, o Slack passou a ser o “Posto Ipiranga” da empresa para todas as comunicações e processos empresariais que precisam ser ajustados à distância.

Em entrevista à EXAME, Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas no iFood, afirma que a companhia trabalha para ser reconhecida como a melhor empresa para se trabalhar remotamente no Brasil e no mundo.

“O escritório do passado será ressignificado. O que era local de trabalho diário passará a ser um local de encontros e alinhamentos eventuais. Estamos reconstruindo o escritório com esse foco. Além disso, houve aceleração de inovação. As empresas que tentarem voltar atrás e ter aprovações burocráticas de projetos e processos vão perceber que isso não é mais viável. A autonomia foi potencializada na quarentena. Por fim, para as pessoas fazerem o descobrimento individual de equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, a empresa precisa ajudar. É uma responsabilidade compartilhada entre companhia e funcionário”, afirma Vitti.

Empresas de tecnologia, como Google e Facebook, já anunciaram que só voltarão a trabalhar no escritório em 2021. O Twitter foi além de anunciou o home office “para sempre” para algumas funções. Sem uma vacina, entidades de saúde pública globais, como a Organização Mundial da Saúde, não sabem quando as medidas de distanciamento social poderão ser reduzidas ao estado de normalidade que conhecíamos antes da pandemia.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.