Este país quer ter carros autônomos em até dois anos

Especialistas do setor acreditam que a tecnologia para um carro 100% autônomo ficará pronta entre cinco ou dez anos, mas país europeu quer sair na frente

A Alemanha quer ter veículos autônomos até 2022 — uma meta ambiciosa. Segundo o jornal alemão The Local DE, políticos do país participaram de uma reunião nesta semana para definir que precisam ser “os pioneiros” na regulação de carros sem motorista. A chanceler alemã, Angela Merkel, participou do encontro com líderes de companhias automotivas, mas, também de acordo com o jornal, fora a definição da data, pouco foi resolvido.

Especialistas do setor acreditam que a tecnologia para um carro 100% autônomo ficará pronta entre cinco ou dez anos, apesar da promessa de Elon Musk, presidente da Tesla, de que sua versão do veículo ficaria pronta ainda em 2020. A companhia americana de Musk, inclusive, foi alvo da legislação alemã recentemente, uma vez que, por lá, não é permitido que carros totalmente autônomos existam.

Apesar da atual regulação, o mercado de carros autônomos deve crescer cerca de 20,2% ao ano na Alemanha entre 2023 e 2030, chegando a 28 bilhões de dólares daqui a dez anos — indústria que pode ser impulsionada ainda mais uma vez que a nova lei entrar em vigor. A nova legislação, assim que sair do mundo das ideias, também deve atrair mais fabricantes para o país europeu.

A ideia dos alemães de regular uma tecnologia antes de ela chegar ao mercado pode ser boa a longo prazo e evitar situações perigosas ou dilemas morais em relação a um mercado que é ainda muito jovem.

Uma decisão parecida (mas menos ambiciosa) foi tomada no Reino Unido no mês passado, quando o país anunciou que iria regular os Sistemas Avançados de Assistência ao Condutor (ADAS, na sigla em inglês), tecnologias que identificam objetos nas estradas e alertam o condutor, conseguindo até desacelerar ou parar o veículo em situações extremas. Futuramente, a ideia dos britânicos é regular também os carros autônomos.

Além da Tesla, outras empresas já estão se preparando para entrar no mercado de carros autônomos. É o caso da fabricante alemã Mercedes-Benz, que anunciou em junho deste ano um acordo com a americana Nvidia para produzir veículos do tipo a partir de 2024.

A Uber também quer a sua fatia na indústria e retomou os testes com carros sem motoristas nos Estados Unidos em julho de 2018, após os mesmos ficarem pausados por cerca de dois meses após um carro da empresa ter ignorado uma ciclista atropelada, que morreu no acidente.

Até a Amazon entrou na dança quando, neste ano, anunciou que iria pagar 1,3 bilhão de dólares para adquirir a startup americana Zoox, empresa especializada em tecnologias que permitem que veículos possam funcionar sem o controle humano. Mais detalhes sobre a aquisição devem sair em breve.

Será que, como em uma corrida, ganha o país que sair na frente da regulação sobre os veículos autônomos? Só o tempo dirá.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Deseja assinar e ter acesso ilimitado?

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.