Future of Money
Acompanhe:

Criptoativos dominam a Copa do Mundo: descubra como lucrar com ações e brindes

Apesar de proibidos no país sede da Copa do Mundo, criptoativos como NFTs e Fan Tokens ganham popularidade em ações de empresas do setor e patrocinadoras do evento

Copa do Mundo no Catar se destaca por presença de empresas cripto (Salih Zeki Fazlioglu/Anadolu Agency/Getty Images)

Copa do Mundo no Catar se destaca por presença de empresas cripto (Salih Zeki Fazlioglu/Anadolu Agency/Getty Images)

M
Mariana Maria Silva

Publicado em 6 de dezembro de 2022, 09h29.

Última atualização em 7 de dezembro de 2022, 10h32.

A Copa do Mundo de Futebol é um dos maiores eventos esportivos da história, e pode representar um momento interessante para ações de empresas de todos os setores. Neste sentido, os criptoativos invadiram o Catar, mesmo que o país proíba o uso em seu território.

Isso porque uma série de empresas do setor foram anunciadas como patrocinadoras e a própria FIFA também investiu na tecnologia, que promete conectar torcedores e times em uma maneira mais adequada à era digital.

Com um público de bilhões de pessoas em todo o mundo, o evento esportivo também pode representar um enorme palco para que iniciativas e soluções cheguem à mais pessoas, além da oportunidade de negócio.

Pensando nisso, depois de grandes seleções como Brasil e Argentina, as criptomoedas, NFTs e Fan Tokens estrelam entre as protagonistas da Copa do Mundo de 2022.

Os Fan Tokens de seleções classificadas para participar da Copa chegaram a disparar antes do evento, e agora, com os jogos em curso, acabam por refletir o desempenho dos times. Com a vitória do Brasil contra a seleção sul-coreana na última segunda-feira, 5, o fan token da seleção brasileira sobe 4,5% nas últimas 24 horas, segundo dados do CoinMarketCap.

Segundo a KPMG, os tokens não fungíveis (NFTs) podem ampliar as oportunidades de negócios na Copa do Mundo, pela forma como apresentam novas possibilidades de monetização e engajamento para marcas, artistas e times.

“Os NFTs estão se tornando o motor de desenvolvimento de comunidades que crescem organicamente em torno de conteúdos, experiências associadas e integração progressiva de ambientes físicos e virtuais”, disse Márcio Kanamaru, sócio-líder do setor de Tecnologia, Mídia, Esportes e Telecomunicações da KPMG no Brasil e na América do Sul.

Entre as principais empresas e instituições envolvidas com ações cripto na Copa do Mundo estão a corretora Crypto.com, uma das maiores patrocinadoras oficiais do evento, Claro, Budweiser e a própria FIFA, que lançou uma plataforma em parceria com o blockchain Algorand.

(Mynt/Divulgação)

Crypto.com

Patrocinadora oficial da Copa, a corretora de criptomoedas lançou uma série de inciativas envolvendo criptoativos e o evento. Entre elas, NFTs baseados em mapas de calor das seleções, prêmios em criptomoedas para torcedores que acertarem o placar das partidas e a criação de NFTs exclusivos e personalizados de jogadas de torcedores presentes no FIFA Fan Fest em Doha, no Catar.

Chamada de “Piece of Magic”, ou “Pedacinho de Mágica” em português, a coleção de 10 mil NFTs da Crypto.com com a Coca-Cola gera tokens a partir do rastreamento dos movimentos de jogadores na partida por meio de mapas de calor.

Estas jogadas são posteriormente eternizadas em blockchain pelo artista digital GMUNK, que trabalha com arte digital há mais de 20 anos e já esteve envolvido em projetos dos filmes de Hollywood Tron: O Legado e Oblivion.

“A 'Piece of Magic' usa dados de futebol como nosso pincel, definindo densidades, comportamentos e aplicações de cores para moldar e criar uma obra de arte envolvente que abraça o espírito do futebol e retrata uma história visual única para cada partida”, explica GMUNK.

Além disso, os torcedores brasileiros que acertarem o placar das partidas da Copa poderão ganhar prêmios em criptomoedas creditadas em cartões cripto da Visa na ação chamada “Palpite Crypto.com: Seu chute na Copa é um golaço no App”.

Durante a fase de grupos, os dez primeiros apostadores que acertaram o resultado do jogo ganharam R$ 50 em saldo no cartão VISA Crypto.com. Agora, o prêmio dobra nas partidas do Brasil e pode chegar até a R$ 500 nas próximas fases do torneio.

Para os torcedores que puderem comparecer ao evento em Doha, no Catar, a corretora ainda preparou uma terceira ação que premiará os presentes no FIFA Fan Fest com NFTs exclusivos e personalizados de suas jogadas.

A campanha Visa Masters of Movement estará disponível até 18 de dezembro. Os torcedores entrarão em um campo de LED digital equipado com tecnologia de rastreamento para capturar e transformar os movimentos icônicos em arte digital. Além de chutar para um gol ou mostrar suas habilidades enquanto jogam com outras pessoas para criar a arte dinâmica personalizada, eles escolherão o esquema de cores com base nas cores nacionais favoritas.

Depois, a arte digital é enviada por e-mail como lembrança, ou eles também podem optar por receber a arte digital cunhada como um NFT.

Até 30 de novembro, essa ativação registrou mais de 50.000 visitantes e com mais de 10.000 jogadores-fãs no campo digital. Argentina, Brasil, Portugal, Arábia Saudita e Catar foram os cinco principais times escolhidos pelos jogadores para as partidas.

Além disso, um leilão reuniu cinco obras de arte exclusivas inspiradas em gols icônicos marcados na Copa do Mundo da FIFA™ e na Copa do Mundo Feminina FIFA™ por atletas lendários: Jared Borgetti, Tim Cahill, Carli Lloyd, Michael Owen e Maxi Rodriguez, e foram transformadas em NFTs. Os fãs que deram lances e o vencedor recebeu o NFT em sua carteira Crypto.com, junto com um arquivo de alta qualidade da arte para impressão, e um souvenir assinado pelo(a) jogador(a) que aparece no NFT arrematado.

 

Budweiser

A marca de cervejas também decidiu apostar nos NFTs para se conectar com seus clientes durante a Copa. Qualquer pessoa com idade suficiente para poder comprar bebidas alcóolicas em seu país de origem poderá ganhar um NFT atualizado com a pontuação do último jogo do torneio.

O NFT representa o país escolhido pelo titular e acompanha o andamento da equipe ao longo da Copa do Mundo. Quem tiver o NFT, também entrará em uma competição para ganhar ingressos para a final do evento, além de um kit promocional.

A Budweiser desenvolveu a coleção da Copa do Mundo em parceria com a consultoria Vayner3 Web3 do empresário famoso no universo cripto Gary Vaynerchuk.

(Mynt/Divulgação)

Claro

Em parceria com a Budweiser, a Claro irá distribuir NFTs gratuitos para seus clientes. Os sete modelos temáticos da Copa serão distribuídos a cada rodada do evento e foram desenvolvidos pela DM9.

Com resgate disponível pelo site ou aplicativo Minha Claro através de pontos do Claro Clube três dias antes dos jogos, os 70 NFTs ainda garantem um par de ingressos para a BUDX, festa realizada pela Budweiser para transmissão da Copa do Mundo.

“Trazer uma coleção de NFTs exclusiva da Copa para os nossos clientes vêm ao encontro dessa busca pela inovação, já que nós estamos oferecendo um benefício atual, mas ainda que ainda está em fase de expansão, que trará diversão e a possibilidade de torcer em eventos exclusivos”, disse Ane Lopes, diretora de Marca e Comunicação da Claro.

FIFA

Por meio de sua parceria com a Algorand, blockchain oficial do evento, a FIFA criou uma plataforma cripto para a Copa do Mundo, a fim de disponibilizar seus próprios NFTs.

Intitulada "FIFA+ Collect" a plataforma promete oferecer NFTs "baratos, inclusivos e acessíveis” para os torcedores do esporte.

"Assim como recordações e figurinhas, esta é uma oportunidade acessível para os fãs de todo o mundo se envolverem com seus jogadores favoritos, momentos marcantes e muito mais em novas plataformas”, disse o diretor de negócios da FIFA, Romy Gai.

Inspirados em sucessos do mercado de NFTs como NBA Top Shot e NFL All Day, os tokens não fungíveis da FIFA são comercializados em “pacotes de figurinhas” que, após abertos, mostram vídeos de momentos icônicos da história da Copa do Mundo. Cada vídeo é selecionado de forma aleatória e pode ser mais ou menos raro.

Ainda segundo a KPMG, os ativos digitais colecionáveis esportivos podem atingir a marca de US$ 2,2 bilhões em 2022.

“A chave da prosperidade para a geração de negócios e o amadurecimento do mercado será fazer as marcas canalizarem a energia dessas comunidades, criando oportunidades em que fãs e consumidores participem”, disse Márcio Kanamaru.

“A Copa do Mundo da FIFA deste ano será a primeira a alavancar a tecnologia Web3”, afirmou Steven Kalifowitz, diretor de Marketing da Crypto.com, sobre a nova fase da internet que engloba blockchain, criptomoedas e NFTs.

Comece seu portfólio de criptomoedas. A Mynt é uma empresa BTG Pactual para você comprar e vender crypto com segurança e atendimento 24 horas. Abra agora sua conta e desbloqueie seu mundo crypto.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok