Future of Money

Corretora descentralizada anuncia “surpresa” e criptomoeda dispara 16% em um dia

“Se prepare para algo super”: frase foi suficiente para fazer criptomoeda da Uniswap disparar nesta quarta-feira

 (FroYo_92/Getty Images)

(FroYo_92/Getty Images)

Mariana Maria Silva
Mariana Maria Silva

Repórter do Future of Money

Publicado em 5 de junho de 2024 às 11h44.

Última atualização em 5 de junho de 2024 às 13h56.

Tudo sobreCriptomoedas
Saiba mais

A criptomoeda UNI, da Uniswap, disparou nesta quarta-feira, 5. Uma das principais criptos de protocolo de finanças descentralizadas (DeFi), a UNI deve receber novidades e este anúncio foi o suficiente para fazer com que seu preço disparasse mais de 16% em um dia.

No momento, a UNI é cotada a US$ 11,15, com alta de 15,6% nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinMarketCap.

“Se prepare para algo super”, publicou a Uniswap Labs, organização por trás da Uniswap, uma das maiores corretoras descentralizadas (DEXs) do mercado, e da UNI, criptomoeda nativa deste protocolo.

A publicação não deu detalhes sobre a novidade e contava apenas com um vídeo de contagem regressiva. No entanto, foi o suficiente para animar os investidores da criptomoeda.

Entre as 20 maiores do mundo em valor de mercado, a UNI é a criptomoeda que mais subiu nas últimas 24 horas, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Sabia que você pode investir em Bitcoin, ether, UNI e muitas outras moedas digitais direto no app da Mynt? Comece com R$ 100 e com a segurança de uma empresa BTG Pactual. Clique aqui para abrir sua conta gratuitamente.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube Telegram | Tik Tok  

Leia mais

Acompanhe tudo sobre:CriptomoedasCriptoativosFinanças

Mais de Future of Money

Hiperautomação, blockchain e Web3: o futuro da transformação digital

Independência financeira: empresas e corretoras cripto estão preparadas para esta demanda?

Drex: quase metade dos brasileiros não está convencida de adotar o real digital, revela pesquisa

Segurança, nuvem e IA generativa de mãos dadas no mercado financeiro

Mais na Exame